Maricá: 'Auxílio Recomeço' injeta R$ 17 milhões na economia


Foto: Divulgação

Criado pela Prefeitura de Maricá para apoiar as vítimas do temporal do dia 1º de abril, o “Auxílio Recomeço” – benefício liberado para aquisição de itens perdidos na enchente – é um alento também para o comércio local, que viu as vendas e o faturamento aumentarem desde o dia 02/5, quando as vítimas começaram a ter o recurso creditado em suas contas no Banco Mumbuca.


Até o momento, 3.531 pessoas – todas integrantes de famílias com renda de até três salários mínimos, em situação de emergência ou vulnerabilidade temporária – foram consideradas aptas a receber o “Auxílio Recomeço”, no valor de cinco mil mumbucas.


Com isso, chega a R$ 17,65 milhões o montante injetado na economia maricaense com a liberação do benefício, de uso exclusivo nos estabelecimentos que aceitam a moeda social. As famílias contempladas pelo auxílio têm prazo de dois meses para utilizar os recursos.


“É uma alegria ir às ruas e ver famílias recompondo suas casas, com sua geladeira, seu fogão novos, e voltando a ter dignidade, a ter sonhos. Desde os primeiros momentos após o temporal, voltamos nossos esforços para acolher e amparar as famílias que perderam tudo para a chuva. A agilidade demonstrada para creditar o auxílio nas contas daqueles que foram afetados por aquela tragédia reafirma nosso compromisso em apoiar aqueles que mais necessitam de suporte para recomeçar a vida. Como efeito adicional, a liberação dos recursos proporciona também esse aumento do dinamismo da economia maricaense”, declarou o prefeito Fabiano Horta.


Comerciantes comemoram


No Centro, o pagamento do benefício é festejado por gerentes de lojas de móveis e eletrodomésticos, cujo faturamento aumentou nos últimos dias. Na filial da Casa & Vídeo, o gerente Daniel Everaldo contou que, desde a liberação do dinheiro, a loja vive dias de movimento semelhante ao do período próximo ao Natal, tradicionalmente o mais agitado do ano para o comércio.


“Recebemos muita gente e as vendas aumentaram bem, principalmente em itens como ventiladores, cafeteiras e conjuntos de panelas, por exemplo. Chegamos a indicar outras lojas que aceitam a moeda mumbuca para clientes que chegaram procurando por produtos que não vendemos, como fogões e geladeiras”, disse.


O relato de Everaldo é confirmado por Melquizedeque Pedro, responsável pela loja Novolare, também no Centro. Segundo ele, algumas pessoas estiveram no local antes mesmo da liberação do benefício, para pesquisar preços e modelos dos itens que buscavam. “Os produtos mais vendidos aqui foram fogões, geladeiras, guarda-roupas e camas, que geralmente são os mais perdidos em enchentes por serem difíceis de retirar da casa durante o temporal”, afirmou.


Na loja Giro Lar & Lazer, também no Centro, funcionários também confirmaram o incremento nas vendas graças ao benefício: itens como camas, sofás e guarda-roupas foram os mais procurados, além de fogões e artigos de cama e mesa.


Na entrada do estabelecimento, um promotor de vendas que tem a função de anunciar promoções e atrair a clientela lança mão das palavras “Auxílio Recomeço” diversas vezes. “O melhor preço é aqui. Vem gastar seu Auxílio Recomeço e refazer sua casa”, anunciava ele, na última terça-feira (11/5).

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg