top of page

Merendeiras da rede municipal de Niterói fazem greve na segunda

As cozinheiras escolares da rede municipal de ensino de Niterói vão entrar em greve a partir de segunda-feira, dia 29 de maio, por melhores condições de trabalho, redução da carga horária e reajuste salarial. Entre as reivindicações também está a transformação dos cargos de merendeiras para cozinheiras escolares, que ainda não existe no município, e suas implicações trabalhistas. O anúncio acontece no momento em que a Prefeitura de Niterói divulga para o mês de junho o lançamento do ProCozinha, programa de reestruturação das cozinhas escolares do município e de melhores condições de trabalho para as cozinheiras.

Divulgação / Prefeitura de Niterói

O Sepe-Niterói (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do RJ) publicou nota em suas redes sociais convocando para a greve. Segundo a postagem, a prefeitura de Niterói, em audiência no dia 24/5, se recusou a atender a pauta das cozinheiras escolares, que inclui a redução da jornada de trabalho para 30h, a não redução de salários e a mudança de nomenclatura. O Sepe-Niterói, então, decidiu pela greve por tempo indeterminado.


No dia 31 de maio, o sindicato marcou uma paralisação geral de 24 horas em apoio à luta das cozinheiras de Niterói e pela pauta salarial de toda a categoria, que prevê rejuste de 15,19% e correção da diferença salarial. O ato de rua será unificado à Rede Estadual, que já se encontra em greve. A concentração será em frente ao Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP - Centro de Niterói), a partir de 7h da manhã. No mesmo dia haverá uma Assembleia Geral da categoria, a partir das 14h da tarde, em local a ser confirmado.

Outras reivindicações do Sepe-Niterói, relativas à Campanha Salarial/Educacional 2023 são:


- migração 40h;

- chamada dos concursados 2008;

- novo concurso público

- direito de 1/3 de planejamento de Professores II

- adicional de periculosidade para Auxiliares de Portaria

- melhores condições de trabalho para toda a categoria

- construção de mais Escolas/UMEI's

- reforma das atuais.


Jornadas exaustivas


A vereadora Benny Briolly (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal da cidade, tem acompanhado e dado suporte na luta da categoria.

Divulgação

“Estou horrorizada com o que tenho constatado nas fiscalizações que fazemos nas escolas. São mulheres sob condições e jornadas de trabalho extremamente degradantes. Ficam de 10 a 12h em pé, sem tempo para horário de almoço. Teve uma cozinheira que infartou no trabalho. Dezenas estão se afastando por problemas graves de saúde. Crianças sem aula, turmas liberadas diariamente em diversas unidades por falta de recursos humanos e condições de trabalho que estão sobrecarregando as profissionais a este ponto. Como a gestão não cumpriu com as datas e encaminhamentos acordados, inclusive em reuniões que eu participei, a categoria de forma justa declarou greve a partir de segunda-feira. Todo apoio à luta das cozinheiras escolares de Niterói”, defendeu ela.


Segundo Benny, as cozinheiras escolares não apenas servem as refeições, uma vez que não chegam prontas. Elas cozinham, realizam todo o processo de preparo, armazenamento e distribuição do café da manhã, almoço e jantar. A mudança na nomenclatura de equiparação salarial vem sendo pleiteada pela categoria desde 2016, quando elaboraram o Plano Municipal de Educação para Niterói para o decênio (2015-2025).


Prefeitura confirma mudanças


A Prefeitura de Niterói mantém seu compromisso com a educação pública e a valorização profissional. Na última quarta-feira (24), a Secretaria e a Fundação Municipal de Educação se reuniram com a categoria, através do sindicato, para apresentar os avanços da pauta. A SME e FME estão em processo de negociação sobre a mudança de nomenclatura - de merendeiras para cozinheiras - e a redução da carga horária - de 40 para 30 horas.


Entendendo que a pauta também passa pela necessidade de melhores condições de trabalho, a Prefeitura anunciou, nesta semana, o PROCozinha, Programa de Reestruturação e Organização das Cozinhas Escolares, que será lançado no próximo mês. O conjunto de ações vai atuar na reforma das cozinhas, aquisição de equipamentos tecnológicos que facilitem o dia a dia, valorização profissional e atenção à saúde do servidor.


A Prefeitura de Niterói, através da SME e FME, esclarece que está construindo um processo de diálogo aberto com os profissionais de educação.




Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page