Ministro do TCU ganhou R$ 1 milhão de indenização de férias


Ex-ministro do TCU, embaixador em Portugal, Raimundo Carreiro (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Nomeado em janeiro pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) embaixador em Portugal em troca de antecipar sua aposentadoria como ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Raimundo Carreiro recebeu do tribunal quase R$ 1 milhão (R$ 926.580,05) a título de “férias indenizadas”. O pagamento foi feito em duas vezes, nos contracheques de fevereiro e maio. As informações são do Globo.

Equiparados a magistrados, os integrantes do TCU têm direito a 60 dias de férias por ano, fora eventuais recessos, feriados e fins de semana. Assim, aproveitam para fazer "poupança" de dias em dinheiro não usufruindo de todos os períodos a que têm direito visando a "indenização" ao fim da carreira.

O TCU não revela o saldo de dias não aproveitados por seus ministros.

A nomeação de Carreiro para a Embaixada em Portugal foi vista como uma tentativa de aparelhamento do TCU, após Bolsonaro sofrer desgastes no órgão, como o desmentido da Corte no ano passado sobre um suposto relatório divulgado por Bolsonaro que mostraria supernotificação de mortes por covid-19 nos estados.

Com a antecipação da aposentadoria do ministro, que ocorreria apenas em 2023 quando faz 75 anos, Bolsonaro articulou por um nome mais alinhado ao governo no TCU.

Raimundo Carreiro é apadrinhado pelo ex-presidente José Sarney e o senador Renan Calheiros (MDB-AL).

O TCU é formado por nove ministros. Seis são escolhidos pelo Congresso Nacional e três pelo presidente da República. Em todos os casos, a indicação é submetida à aprovação do Senado Federal.


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg