Moro embolsou R$ 3,5 milhões da Alvarez & Marsal


(Reprodução)

A relação nebulosa do presidenciável Sergio Moro (Podemos) com a empresa Alvarez & Marsal rendeu ao ex-juiz mais de R$ 3,5 milhões por um ano de contrato de "consultoria". Moro recebeu um total de 656 mil dólares ao prestar serviço, entre 23 de novembro de 2020 e 26 de novembro de 2021, para a empresa norte-americana, que lucrou R$ 42 milhões com a quebra de empreiteiras brasileiras por meio de decisões da Lava Jato.

O pré-candidato à Presidência havia marcado de anunciar nesta sexta-feira (28), em uma live no canal do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), os valores que teria recebido da Alvarez & Marsal, mas a informação foi antecipada pelo Globo.

Em reais, são exatos R$ 3,537 milhões. A cifra representa R$ 294.750 por mês ou R$ 9.825 por dia.

A revelação salarial ocorreu após o ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), determinar a abertura de uma investigação sobre possíveis irregularidades cometidas por Moro durante o período que trabalhou para Alvarez & Marsal, responsável pela recuperação judicial da Odebrecht e de outras empresas.

Durante a live, Moro ainda tentou minimizar o supersalário: “Não enriqueci. Trabalhei e recebi um bom salário, nos padrões dos Estados Unidos.”

Moro disse que foi contratado pela Alvarez & Marsal inicialmente para atuar no Brasil, pois não tinha visto de trabalho nos EUA. Depois, foi transferido para Washington.

Com salário de juiz, Moro levaria cerca de 8 anos para receber esse total.

De acordo com o Dieese, Moro e a Lava Jato destruíram 4,4 milhões de empregos de brasileiros - cerca de 1 milhão somente no setor naval -, ao quebrar as construtoras nacionais – o que levanta a hipótese de que Moro tenha recebido uma recompensa, e não propriamente um salário. É o que o Tribunal de Contas da União tenta apurar.

300x250px.gif
728x90px.gif