Moro já teria passado informações sigilosas da PF segundo Bolsonaro


O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, desembarcou do governo acusando o presidente Jair Bolsonaro de interferência política na Polícia Federal com o objetivo de ter acesso privilegiado a investigações que estão em andamento. Em seu pronunciamento de demissionário, Moro fez questão de acentuar que não poderia compactuar com a ilegalidade. No entanto, fatos ocorridos durante sua gestão mostrariam também que o ex-juiz da Lava Jato não teria agido assim quando se tratou de dar acesso privilegiado, ilegalmente, a outras investigações, não só ao presidente como a outras autoridades. Em julho de 2019, foi o próprio presidente Jair Bolsonaro quem afirmou que o agora ex-ministro lhe deu acesso privilegiado a dados do inquérito sigiloso sobre o esquema criminoso de laranjas do PSL (na época, partido do presidente da república). Ver aqui a publicação no site 247: https://www.brasil247.com/brasil/moro-passou-ilegalmente-a-bolsonaro-dados-sigilosos-sobre-investigacao-do-laranjal-do-psl Há um outro caso em que o então ministro foi acusado de dar acesso privilegiado a investigações da Polícia Federal. Ainda em julho de 2019, no auge dos vazamentos feitos pelo site The Intercept, do jornalista Glen Greenwald, com reportagens envolvendo o nome do ex-juiz e procuradores da Lava Jato, com sérias implicações políticas, Sérgio Moro mais uma vez indicou que teve acesso à investigações sigilosas e repassou as informações a outras autoridades. Esse caso envolvia os hackers que abasteceram a chamada “Vazajato”. Ver aqui no site da BBC News Brasil: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-49169196

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif
Toda Palavra 076 - p 4-5.jpg

Leia a versão digital da edição impressa do TP