Morre Duda Mendonça: 'gênio da comunicação política'


(Reprodução)

O marqueteiro Duda Mendonça morreu aos 77 anos. A morte do publicitário foi confirmada pela família nesta segunda-feira (16). Ele estava internado em São Paulo, no hospital Sírio Libanês. Ele estava hospitalizado para tratar um câncer no cérebro e fazia quimioterapia. Em junho, Duda Mendonça foi diagnosticado com covid-19 e precisou ser intubado. O corpo do marqueteiro será cremado.

Várias lideranças petistas lamentaram a morte de Duda Mendonça. Ele ficou conhecido principalmente por ter comandado a campanha eleitoral à Presidência da República vencida por Lula em 2002, com o slogan "Lulinha, Paz e Amor". O governador da Bahia, o petista Rui Costa, afirmou que o publicitário "teve o seu talento reconhecido no Brasil e no mundo".

​"Duda Mendonça foi um gênio da comunicação política. O seu trabalho na campanha de 2002 já está na história como uma das campanhas mais bonitas e sensíveis da nossa história. Em um momento em que o Brasil sofria com uma crise aguda, racionamento de energia e miséria, Duda Mendonça produziu filmes e mensagens de muita sensibilidade, de que a esperança venceria o medo. Aos seus familiares e amigos, meus sentimentos", lamentou Lula, em seu site.

José Dirceu, ex-ministro do governo Lula, afirmou em nota que hoje é "um dia de tristeza e dor pela morte do meu amigo Duda Mendonça, sempre presente e solidário nos momentos mais duros e difíceis que passamos juntos". O senador Jaques Wagner (PT-BA) disse que o marqueteiro deixou "como marca o brilhantismo nos trabalhos que realizou ao longo de sua trajetória".

​Entre as campanhas que liderou, se destacam a de Paulo Maluf à Prefeitura de São Paulo em 1992, e a de Lula para a presidência em 2002. Na Europa, Duda também ajudou a eleger o ex-primeiro-ministro português Pedro Santana Lopes. Duda Mendonça deixa quatro filhos e a esposa, Aline Mendonça.


Fonte: Agência Sputnik

300x250px.gif
728x90px.gif