top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Morre Hebe de Bonafini, líder histórica das Mães da Praça de Maio

Atualizado: 22 de nov. de 2022


(Reprodução)

A histórica líder social argentina Hebe de Bonafini, presidente da Associação das Mães da Praça de Maio, morreu neste domingo (20) aos 93 anos. O governo argentino decretou três dias de luto nacional.


Em nota, o Executivo destacou que a co-fundadora das Mães da Praça de Maio "lançou luz no meio da noite escura da ditadura militar e abriu caminho para a recuperação da democracia há 40 anos".


"O Governo decreta três dias de luto nacional e presta homenagem a Hebe, à sua memória e à sua luta, que estará sempre presente como guia nos momentos difíceis", diz trecho da nota.


A morte de Hebe ocorreu às 9:20 da manhã no horário local (9:20 no horário de Brasília), na cidade de La Plata, capital da província de Buenos Aires.


Alejandra Bonafini, filha da histórica dirigente social, agradeceu o apoio recebido nos últimos dias, quando Hebe estava internada no Hospital Italiano de La Plata e disse que a partir de segunda-feira (21) vai informar quais serão os espaços para homenagens e lembranças.


A família reconheceu que foram "momentos muito difíceis e de profunda tristeza" e manifestou a necessidade de no momento lamentar em privado.


A vice-presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, próxima de Hebe, prestou homenagem no Twitter.


"Querida Hebe, Mãe da Praça de Maio, símbolo mundial da luta pelos Direitos Humanos, orgulho da Argentina. Deus te chamou no dia da Soberania Nacional... não deve ser coincidência. Só agradecer e até sempre."


O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, também prestou homenagens. O dirigente boliviano afirmou que "Hebe viverá para sempre na memória dos trabalhadores, povos indígenas, lideranças engajadas e movimentos sociais da Pátria Grande que marcham unidos com as bandeiras em defesa dos direitos humanos desde a Praça de Maio até os confins do mundo".

"Muito triste e consternado com a partida da Irmã Hebe de Bonafini, histórica, respeitadíssima e querida presidente das Mães da Praça de Maio. Sua luta incansável e incorruptível contra as ditaduras pela memória, verdade e justiça é um exemplo para as novas gerações."


Nascida em 4 de dezembro de 1928 na cidade portenha de Ensenada, Bonafini teve dois filhos desaparecidos durante a última ditadura (1976-1983). Em 8 de fevereiro de 1977, seu filho Jorge Omar foi sequestrado e desaparecido em La Plata, e em 6 de dezembro do mesmo ano, seu filho Raúl Alfredo também foi sequestrado no município portenho de Berazategui.


Hebe se tornou presidente da Associação das Mães da Praça de Maio em 1979. A organização buscava informações sobre filhos desaparecidos durante a ditadura. Movimentos sociais e historiadores estimam que cerca de 30 mil pessoas ficaram desaparecidas durante o período.

A ativista completaria 94 anos em 4 de dezembro.


Com a Sputnik

Comments


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page