Morre Monsenhor Elídio Robaina, o 'padre dos pobres'

O prefeito Axel Grael decretou luto oficial de três dias em Niterói, a partir deste domingo (26/6), em razão do falecimento do Monsenhor Elídio Robaina. Considerado o padre dos pobres, Robaina celebrou 58 anos como sacerdote e atualmente era pároco da Capela São Lucas, em Icaraí.

Reprodução

"Não podemos esquecer o importante papel e a imensurável contribuição do Monsenhor Elídio Robaina para a nossa cidade. Conhecido pelo seu trabalho com os mais necessitados, ele também foi fundamental na restauração de igrejas de Niterói. Toda a minha solidariedade neste momento", disse o prefeito Axel Grael.


Monsenhor Elídio foi ordenado em 1964 pelo então arcebispo de Niterói, Dom Antônio de Almeida Moraes Júnior, na Igreja de Nossa Senhora Auxiliadora – Salesianos. Tornou-se vigário-chefe da Arquidiocese de Niterói em 1978. Robaina foi vice-reitor do Seminário São José e como capelão da Ilha da Conceição, construiu a primeira de nove igrejas feitas por ele, a Nossa Senhora da Conceição.

Reprodução

Foi professor de Português, Grego, Francês, Latim e Música no local. Passou pelas paróquias de São João Batista, de Tenente Jardim; Nossa Senhora das Dores, no Ingá; São Lourenço e São Domingos de Gusmão.


Em 2016 a Academia Fluminense de Letras, fundada em 1917, decretou o Monsenhor Elídio Robaina “imortal”, concedendo-lhe a cadeira de nº 21, cujo patrono é o bispo Francisco de Lemos.


Fonte: Coordenadoria Geral de Comunicação da Prefeitura de Niterói

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif