Morte e espancamentos após Palmeiras perder Mundial


(Reprodução)

Cenas de extrema violência entre membros de torcidas organizadas do Palmeiras em São Paulo neste sábado (12) fecharam tragicamente a tarde de decepção pela derrota da equipe palmeirense em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. Após o apito final na decisão do Mundial de Clubes, com vitória do Chelsea, da Inglaterra, por 2 a 1 na prorrogação, um torcedor do Palmeiras morreu baleado e vários outros ficaram feridos após sessões de espancamentos captadas por emissoras de TV nas proximidades do Allianz Parque, na Zona Oeste da capital paulista. O torcedor baleado ainda chegou a ser socorrido em estado grave e foi encaminhado ao Hospital das Clínicas, onde morreu. O autor do disparo foi detido pela polícia.

A cavalaria da Polícia Militar (PM) e agentes com escudos dispararam bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar os torcedores que se concentravam na região.

Em campo, o Chelsea conquistou pela primeira vez o título de campeão do Mundial de Clubes. Já o Palmeiras fracassou pela terceira vez em que competiu no Mundial. A primeira foi em 1999, sendo vice-campeão para o Manchester United, da Inglaterra, por 1 a 0. Em 2020, o Palmeiras foi o quarto colocado, perdendo na semifinal para o Tigres, do México, por 1 a 0 e, na sequência, sofrendo revés de 3 a 2 contra o Al Ahly, do Egito, após empatar de 0 a 0 no tempo regulamentar da decisão pelo terceiro lugar.

O jogo

No primeiro tempo, apesar do domínio do Chelsea, o Palmeiras foi a equipe que mais se aproximou de abrir o placar. Em contra-ataque, aos 26 minutos, o atacante Dudu recebeu de Zé Rafael e bateu à esquerda do goleiro Édouard Mendy. Os ingleses assustaram aos 46 minutos, em uma cabeçada para fora do brasileiro Thiago Silva.

Após o intervalo, os Blues foram mais assertivos, saindo à frente no marcador em uma cabeçada do belga Lukaku, aos 9 minutos. Seis minutos depois, numa disputa com o paraguaio Gustavo Gómez, a bola tocou na mão do zagueiro Thiago Silva e o árbitro australiano Chris Beath marcou pênalti após ser acionado pelo árbitro de vídeo. O atacante Raphael Veiga bateu e empatou o jogo.

Na prorrogação, o Chelsea continuou com mais volume de jogo. Aos 9 minutos, após troca de passes, o atacante Werner acertou a trave, quase recolocando o time inglês à frente.

Na etapa complementar, os ingleses continuaram pressionando sem converter o volume de jogo em gol. Até que o zagueiro Luan, aos 11 minutos, colocou a mão na bola dentro da área após chute de Azpilicueta, e o árbitro marcou o segundo pênalti do jogo. O atacante Havertz, camisa 29, cobrou, balançou a rede e fechou o placar.

Nos acréscimos da prorrogação, aos 20 minutos, o zagueiro Luan fez falta em Havertz, que estava quase penetrando na grande área. Como o zagueiro era o último jogador de linha, acabou tomando o cartão vermelho, sendo expulso.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg