top of page

MP do TCU pede bloqueio de bens de Bolsonaro por vandalismo


(Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O subprocurador-geral do Ministério Público no Tribunal de Contas da União, Lucas Furtado, solicitou nesta terça-feira (10) a "indisponibilidade de bens" do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e do ex-secretário de Segurança distrital e ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro, Anderson Torres.


O pedido deve ser analisado, segundo a revista Veja, somente quando as autoridades levantarem a soma total do prejuízo provocado pelos atos de vandalismo em Brasília contra os edifícios dos três Poderes, além da apuração das responsabilidades objetivas de cada um dos citados no dia dos ataques.


"Em razão de processo de Tomada de Contas e do vandalismo ocorrido no Distrito Federal no dia 8 de janeiro de 2023, que provocou inúmeros prejuízos ao erário federal, solicito seja decretada a indisponibilidade de bens dos srs. Jair Messias Bolsonaro, ex-presidente da República, do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, bem como do sr. Anderson Torres, secretário de segurança do Distrito Federal exonerado", diz o pedido do subprocurador-geral do MP do TCU.


Bolsonaro viajou para Orlando, na Flórida, em 30 de dezembro, quando ainda era presidente da República - fazendo uso, portanto, de seu passaporte diplomático em missão não oficial.


Torres, por sua vez, também se encontra na Flórida, em caráter de "férias", segundo alegado por ele. No domingo, antes de ser decretada a intervenção federal, ele foi demitido pelo governador do DF - que também foi afastado do cargo por 90 dias por decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal - devido à sua omissão em relação aos atos de terrorismo.

300x250px.gif
728x90px.gif
bottom of page