MP quer que Flávio devolva R$ 6 milhões e perca apê


Senador Flávio Bolsonaro na loja de chocolates usada para lavagem de dinheiro, segundo o MP-RJ (Reprodução)

Em denúncia apresentada ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), o Ministério Público do Rio (MP-RJ) pediu que o senador Flávio Bolsonaro seja condenado a pagar uma indenização de R$ 6 milhões aos cofres do estado, além da perda de bens, como um imóvel localizado na Barra da Tijuca, e a perda do cargo de senador da República.

Os promotores requerem a indenização exata de R$ 6.100.091,95 em favor do estado do Rio pelos danos causados por crimes de peculato. A soma seria dividida entre Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz e Miguel Ângelo Braga Grillo, chefe de gabinete do senador.

Os promotores pedem ainda que, caso os denunciados sejam condenados, devam ser impedidos de exercer função ou cargo público pelo prazo de oito anos, subsequentes ao cumprimento das penas.

O MP-RJ diz que chefe de gabinete de Flávio Bolsonaro no Senado foi "determinante" nos esquemas de "rachadinha" na Alerj.

Ainda como efeito da condenação criminal, o MP-RJ pede também que seja decretada em favor do Rio de Janeiro a perda de bens, direitos e valores relacionados direta ou indiretamente à prática dos crimes. Um dos alvos definidos pela promotoria é o apartamento do senador, localizado na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o ex-assessor Fabrício Queiroz, além de suas respectivas mulheres, duas filhas de Queiroz e mais nove investigados foram denunciados por organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e apropriação indébita no esquema das "rachadinhas", na época em que Flávio Bolsonaro era deputado estadual.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) nega todos os crimes.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

1/3
300x250px - para veicular a partir do di
Leia também: