top of page

MPF abre inquérito para apurar responsabilidades sobre bloqueios


(Reprodução)

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou nesta sexta-feira (4) um inquérito civil para investigar as responsabilidades sobre as manifestações realizadas em rodovias do país desde o anúncio do resultado das eleições presidenciais.


O inquérito foi aberto por meio da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), no Rio de Janeiro. No despacho, os procuradores destacam que cabe ao MPF a defesa do regime democrático de direito e sustentam que o direito de livre manifestação deve ser harmonizado com o exercício de outros direitos fundamentais consagrados na Constituição.


De acordo com um boletim divulgado esta manhã, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), ainda há 15 interdições em rodovias de cinco estados, segundo noticiou o G1. Santa Catarina reúne a maioria dos bloqueios, com um total de 611 registrados desde o início das manifestações.


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, deu um prazo de 48h para que a PRF apresente um relatório detalhando as multas aplicadas contra caminhoneiros. A PRF informou que já aplicou multa a 3.500 veículos.


Durante uma sessão do TSE realizada nesta sexta-feira, Moraes chamou os caminhoneiros bolsonaristas envolvidos em bloqueios de "criminosos" e disse que serão responsabilizados. Atendendo a um pedido da Confederação Nacional do Transporte (CNT), o ministro também solicitou à Polícia Federal (PF) dados dos líderes das manifestações, a identificação dos donos dos veículos e, caso seja verificada a participação de empresas, que suas garagens sejam lacradas..


300x250px.gif
728x90px.gif
bottom of page