MPF cita 'possível interferência' de Bolsonaro no caso MEC


Ex-ministro Milton Ribeiro e os dois pastores, entre Bolsonaro e o atual ministro do MEC, Victor Godoy (Reprodução)

O Ministério Público Federal (MPF) apontou que houve indícios de vazamento da operação da Polícia Federal deflagrada contra o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, e dois pastores evangélicos na última quarta-feira (22). Além disso, uma "possível interferência ilícita por parte do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, nas investigações" pode ter acontecido. Os indícios teriam sido apurados em um áudio encontrado com o ex-ministro.

Em razão dessas suspeitas, o MPF solicitou o envio do caso ao Supremo Tribunal Federal (STF), conforme informações do Globo.

O pedido foi acolhido pelo juiz federal Renato Borelli, da 15ª Vara Federal do Distrito Federal, e as investigações serão enviadas ao Supremo.

De acordo com a decisão, o pedido foi feito pois foi "verificada a possível interferência nas investigações por parte de detentor de foro por prerrogativa de função no Supremo".

Com isso, agora caberá ao STF e à Procuradoria-Geral da República (PGR) analisar as provas para avaliar se a investigação deverá permanecer no Supremo Tribunal Federal ou se volta ao Juizado de primeira instância.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif