top of page

MPRJ cumpre mandados de prisão contra facção criminosa


Foto: Reprodução

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) deflagrou uma megaoperação, na manhã desta quinta-feira (17/11), para prender traficantes ligados à facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP). Diversos mandados foram cumpridos pelos agentes em um presídio de Niterói. Ao todo, os agentes foram às ruas para cumprir 56 mandados de prisão contra criminosos ligados a Wescley Silva Monteiro, o Ben 10.


Os mandados de prisão temporária e de busca e apreensão estão sendo cumpridos nos municípios de Campos dos Goytacazes, Bom Jesus do Itabapoana e Itaperuna, e nas cidades capixabas de Mimoso do Sul e Apiacá, todas elas áreas dominadas pelo grupo.


Também estão sendo cumpridos mandados de busca em presídios da capital, de Campos, Japeri e Cariacica. Entre os alvos dos mandados de busca e apreensão estão dois policiais militares envolvidos com o tráfico de drogas nas localidades de Santa Maria e Santo Eduardo, em Campos, pertencentes a um grupo rival ao chefiado por Ben 10.


As investigações tiveram início após a apreensão, com Ben 10, durante uma abordagem policial realizada no ano passado, de um caderno contendo anotações do tráfico, além do aparelho celular do denunciado. Após ter sido deferida a quebra de sigilo de dados do telefone apreendido, foram extraídos arquivos de conversas, áudios, vídeos, fotografias, agenda telefônica e histórico de chamadas, que demonstraram que Ben 10, além de líder de uma organização criminosa integrante da facção do Terceiro Comando Puro (TCP), também é o principal narcotraficante em atuação no extremo norte do estado, abrangendo as cidades do Norte e Noroeste Fluminense, bem como outras da região sul do Espírito Santo.


Os dados obtidos pelos investigadores demonstraram que os 56 denunciados, liderados por Ben 10, fazem parte de um grupo criminoso que atua de forma generalista para traficar entorpecentes, com a presença de gerentes gerais, e que, através das ordens do seu líder, também estão envolvidos na prática de homicídios, motivados pela disputa do tráfico nas áreas dominadas pela organização.


“É importante salientar que Wescley exerce o comando pleno das organizações, ainda que eventualmente não atue diretamente na prática de atos de execução propriamente ditos, a venda do material entorpecente, sendo o responsável pela constituição da célula criminosa que atua na atividade ilícita na região e pelo comando desta. Também é importante se ter em conta que o investigado está associado a vários grupos delimitados territorialmente, tendo cada um destes uma liderança e organização locais e, como líder maior, o citado Wescley”, destaca um dos trechos do pedido de prisão temporária encaminhado à 2ª Vara Criminal de Campos dos Goytacazes.


No início da manhã haviam sido presas 47 pessoas, incluindo o PM Leonardo Guimarães, que foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e munições. Foram apreendidos 19 celulares em presídios e 425 papelotes de cocaína.

300x250px.gif
728x90px.gif