top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Mulheres: Coletivos comunitários serão celebrados com premiação

O Centro Cultural de Cidadania e Economia Criativa (MACquinho) vai promover, nesta sexta-feira (15/3), a entrega do Prêmio Dona Alaíde e Dona Luísa, uma iniciativa dedicada a reconhecer mulheres e coletivos compostos por mulheres que contribuem para o desenvolvimento de ações de base culturais, educacionais e esportivas nas periferias de Niterói. A premiação é uma homenagem a duas lideranças do Morro do Palácio.

O evento faz parte do calendário de celebração do mês da mulher e tem início a partir das 16h, no Centro Cultural que fica na Boa Viagem. A programação conta ainda apresentação do Samba que Elas Querem e uma apresentação das mulheres do curso de Afro Percussão realizado no MACquinho.

A subsecretária de Governo e coordenadora do Centro Cultural, Walkíria Nictheroy, explica que o prêmio é um reconhecimento ao trabalho de muitas mulheres.

“Este prêmio destaca a importância dessas mulheres e coletivos na construção de uma sociedade mais inclusiva e culturalmente diversa, construindo uma cidade democrática que promove os direitos das mulheres. O nome é uma homenagem à Dona Alaíde e Dona Luísa, duas lideranças do Morro do Palácio, cujo legado inclui a expansão e fortalecimento de políticas públicas na comunidade onde é localizado o MACquinho. Nosso propósito é reconhecer a contribuição de tantas mulheres que realizam trabalhos essenciais e de base nas periferias da cidade”, conta a subsecretária.

Além da premiação, o evento abre com a exposição “Sou uma, mas não ando só”, das fotógrafas Halline Macenas, Bia Póvoa e Rebeca Belchior, que vai ficar disponível para visitação até o dia 15 de abril. O trabalho, que tem a curadoria de Walkiria Nictheroy, conta a história de projetos desenvolvidos em territórios de periferia que fazem a diferença na cidade de Niterói através de retratos e registros do lugar de atuação de 20 mulheres.

“A construção da humanidade só foi possível através da coletividade. A organização social surge com a necessidade do homem se proteger e o aprendizado de que somos melhores em grupo. Em quase todos os povos antigos, as mulheres foram a base da sobrevivência e das construções.

Ao mesmo tempo, essas mesmas mulheres que constroem, criam e cuidam são silenciadas e violentadas. Ainda assim, em todo o mundo nos reagrupamos, lutamos e conquistamos nosso espaço para lutar por uma sociedade que nos caiba”, detalha Walkíria Nictheroy em um trecho do seu texto curatorial.

O evento terá início às 16h com abertura da casa ao som de DJ Kora. A premiação começa às 18h com a abertura da exposição “Sou uma, mas não ando só” e solenidade de reconhecimento e apresentação das mulheres e coletivos premiados.


A parte cultural fica sob a responsabilidade do o Samba Que Elas Querem e uma apresentação das mulheres do curso de Afro Percussão realizado no MACquinho.

Serviço

Data: 15 de março de 2024

Horário: Início às 16h

Local: Centro Cultural de Cidadania e Economia Criativa (MACquinho) | Rua Nair Margem Pereira - Boa Viagem, Niterói - RJ


Fonte: Coordenadoria Geral de Comunicação da Prefeitura de Niterói

Commentaires


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page