Mundo ultrapassa a marca de 10 milhões de casos de Covid


Na manhã deste domingo (28), o mundo quebrou a marca de 10 milhões de pessoas infectadas pela Covid-19, de acordo com os registros da Universidade Johns Hopkins, dos EUA. O índice é atingido em um momento em que o continente americano ainda não chegou no pico da pandemia. Estados Unidos, com 2.510.337 casos confirmados e 125.539 mortes, e Brasil, com 1.313.667 casos e 57.070 mortes, ainda lideram a estatística macabra do novo coronavírus.

O vírus, que causa a infecção respiratória Covid-19, foi detectado pela primeira vez na cidade de Wuhan, na China, no final de 2019 e em seguida se espalhou-se rapidamente pelo mundo nos primeiros meses de 2020.

Enquanto em alguns países os casos confirmados e as mortes estão em descendência após adotarem medidas restritivas, em outros os números ascendem. No continente americano, epicentro da pandemia - principalmente nos Estados Unidos e no Brasil - a crise ainda não atingiu o pico. Peru e Chile, por exemplo, já passaram Espanha e Itália em número de casos confirmados da doença.

Brasil, México, Índia, Paquistão e em regiões da África a doença tem uma trajetória ascendente detectada nas últimas semanas.

Recorde

Novos 191.700 casos de Covid-19 foram registrados na última sexta-feira (26), segundo informou a Universidade Johns Hopkins. Um número recorde de casos da doença em 24 horas no mundo.

O aumento do número de casos nos EUA, que há três dias registra recordes de infecções, foi um dos responsáveis pelo registro.

O recorde global anterior aconteceu no dia 18 de junho, com 181.600 novos casos em um dia.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg