Museu da Alemanha devolverá 'dinossauro' desviado do Brasil


Material ilustrativo (Foto: Divulgação/Christie's)

Após a decisão do Conselho de Ministros da região de Baden-Württemberg, que acatou, na manhã desta terça-feira (19), um pedido feito pela ministra da Ciência alemã, Theresia Bauer, o Museu de História Natural de Karlsruhe, será obrigado a devolver ao Brasil o fóssil do dinossauro Ubirajara jubatus, retirado ilegalmente do país por pesquisadores estrangeiros, segundo a Folha de São Paulo. O fóssil foi encontrado na Bacia do Araripe, no Ceará, em 1995.

Uma avaliação do ministério levantou dúvidas sérias sobre a legalidade da aquisição do fóssil e de sua importação pela Alemanha, e por isso, haverá ainda uma investigação sobre outros exemplares brasileiros em posse do museu. A expectativa é de que eles também possam ser repatriados, relata a Folha.

De acordo com a reportagem do jornal alemão Badische Neueste Nachrichten, a pasta da ciência se irritou com a "má conduta científica inaceitável do museu", que gerou danos reputacionais sérios à instituição e ao país.

A comunidade científica brasileira se mobilizou de forma inédita por meio da campanha virtual #UbirajaraBelongstoBR (Ubirajara pertence ao Brasil, na tradução) para denunciar as diversas irregularidades envolvendo a saída do fóssil do território brasileiro.

Uma das idealizadoras e principais vozes do movimento, Aline Ghilardi, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, considera que o anúncio é uma vitória para a ciência dos países em desenvolvimento.

"A gente gritou para o mundo e disse que é possível fazer uma ciência diferente, descentralizada, baseada em princípios éticos. As colaborações [com estrangeiros] são muito bem-vindas, mas desde que os benefícios sejam simétricos, em que todas as partes recebam os benefícios", afirmou Ghilardi.

De acordo com a Folha, o artigo científico que descreveu Ubirajara jubatus, assinado por três pesquisadores, desrespeitava diversos pontos da legislação do Brasil, o qual estabelece, desde 1942, que os fósseis são patrimônio nacional.

Embora tenham afirmado inicialmente que o fóssil saiu do Brasil com a devida autorização em 1995, os autores do trabalho não conseguiram apresentar a documentação adequada. Ao longo do imbróglio, apresentaram outras justificativas conflitantes que acabaram por não se sustentar.

As autoridades alemãs ainda não disseram quando o material será enviado de volta ao Brasil e nem em que circunstâncias isso irá acontecer. O destino do dinossauro, dentro do território brasileiro, também não foi definido.

Ainda que as negociações tenham sido feitas com a participação do Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, em Santana do Cariri (CE), região onde o dinossauro viveu há cerca de 110 milhões de anos, reportagens na imprensa alemã afirmam que o fóssil pode ser encaminhado ao Museu Nacional, no Rio de Janeiro.


Fonte: Agência Sputnik

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif