Natureza, flores, arte e superação na Sala Leila Diniz

A Sala de Cultura Leila Diniz apresenta duas exposições simultâneas, com estreia marcada para o dia 10 de fevereiro, às 17h30m. 'Naturalis', de Ana Morche, traz aquarelas da artista que representam a natureza através de cores e elementos étnicos. E 'Cultive as Flores da sua Dor', de Veruska Bahiense, combina fotografia, costura e outras técnicas, em obras que transmitem mensagem de superação.

Obra de Ana Morche à esquerda, e de Veruska Bahiense à direita /Divulgação

'Naturalis'

Ana Morche / Divulgação

“A natureza está presente na minha vida desde a infância. Sempre gostei de coletar pequenos tesouros, como sementes e flores”, revela Ana Morche.


Com pinceladas suaves e a partir de cores primárias, além de efeitos em texturas, transparências e sobreposições, a artista utiliza uma linguagem expressiva em sua obra, por vezes fazendo algumas interferências finais com giz e bico de pena.


No dia 9/3, a partir das 14h30m, Ana Morche ministrará a oficina 'Aquarela - cor e texto', onde irá revelar técnicas e outros segredos da arte da aquarela.

Divulgação

'Cultive as Flores da sua Dor'


Quando a arte provoca uma reflexão sobre a vida humana, sua razão de ser atinge um significado mais profundo. O olhar da artista para a beleza, mesmo diante da dor, levou Veruska Bahiense a uma longa trajetória em busca de imagens que pudessem representar tal resiliência.

Arte em fotografia de Veruska Bahiense / Divulgação

A 'dor crônica' foi a semente desse trabalho desafiador, dividido em duas séries: Sombras da Dor e Desert Bloom. A artista fotografou pacientes colaboradores e aplicou técnicas de pintura e costura no próprio papel, mapeando assim, os pontos de dor e florescimento.

Veruska Bahiense / Divulgação

“O objetivo não foi debruçar nas tragédias e limitações das patologias, mas destacar a beleza e como esses pacientes florescem, apesar da dor”, destaca a artista, que também enfrenta a doença.


O conto hindu 'O Vaso Rachado' foi escolhido para embasar a proposta de uma nova forma de olhar para o outro e a si mesmo. Nessa narrativa, as cores são aplicadas cuidadosamente sobre a base fotográfica em preto e branco, e o amarelo alaranjado nos remete à oxidação.


Um elemento inusitado dá o tom especial ao conjunto da obra: o café. Sim, a bebida preferida dos brasileiros além do sabor e aroma, tem uma tonalidade peculiar, que rascunhou o cultivar e o florescer nas demais obras.


“No dia 11/03, a partir das 14h30m, Veruska Bahiense irá ministrar a oficina 'Aquarela com Café', explicando como é a técnica de pintura com a bebida.

Obra de Veruska Bahiense / Divulgação

Serviço


Exposições 'Naturalis' (Ana Morche) e 'Cultive as Flores da sua Dor' (Veruska Bahiense)

Local: Sala de Cultura Leila Diniz / Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro

Endereço: Rua Prof. Heitor Carrilho 81, Centro, Niterói

Abertura oficial: 10/2 (quinta-feira), às 17h30

Funcionamento da Sala de Cultura: de segunda a sexta, das 8h às 17h

Entrada franca

Classificação: Livre


Fonte: IOERJ


300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif
Toda Palavra 076 - p 4-5.jpg

Leia a versão digital da edição impressa do TP