top of page

Negócios do BRICS com países da UEE aumentam mais de 60%

Uma sessão intitulada "UEE - OCX - BRICS: Diálogo de Integração Aberta" foi realizada na quarta-feira, 24 de maio, como parte do primeiro dia do Fórum Econômico Eurasiano (EEF). Os palestrantes discutiram as principais áreas de cooperação entre a UEE, a OCX e o BRICS, as perspectivas de cooperação monetária e financeira e a transição para novas formas de pagamento no comércio mútuo dessas alianças de integração no ambiente atual, e como um diálogo entre as principais alianças de integração poderia contribuir para o crescimento das economias nacionais.


O Presidente do Conselho da Comissão Econômica da Eurásia, Mikhail Myasnikovich, disse que, se observarmos o volume do comércio exterior dos estados-membros da UEE com a OCX e o BRICS, somente no ano passado ele aumentou em mais de 40%. Ao mesmo tempo, as exportações da união aumentaram 1,6 vezes.


"O principal parceiro comercial da união atualmente é a China. Ela responde por 23%, em comparação com 15% em 2015. A participação da Índia está crescendo e isso é muito encorajador", disse ele.


Nuran Niyazaliev, Secretário-Geral Adjunto da Organização para Cooperação de Xangai, destacou as principais áreas de cooperação entre a OCX, a UEE e o BRICS.


"O desenvolvimento de medidas e ações conjuntas coordenadas para facilitar o fortalecimento da cooperação entre os Estados membros nas esferas de segurança, comércio e cooperação econômica, investimentos, energia, transporte e laços científicos e culturais está se tornando mais relevante. Essas questões estão permanentemente na agenda do Secretariado da OCX. Nós cooperamos ativamente com os órgãos permanentes da CEI, CICA, ASEAN, OTSC, OCDE e CEE", mencionou ele.


O secretário-geral adjunto da OCX enfatizou:


"O Novo Banco de Desenvolvimento estabelecido pelos países do BRICS, localizado na China, assim como o Secretariado da OCX, promoverá uma cooperação mais próxima e a troca de experiências em finanças, investimentos e cooperação interbancária".


Dmitry Volvach, vice-ministro do Desenvolvimento Econômico da Federação Russa, em seu discurso apresentou os principais indicadores que refletem o volume do comércio mútuo da Rússia com os países do BRICS e os estados da UEE com os cinco países.


"Até o final de 2022, o volume de negócios da Rússia com os cinco países foi de 230 bilhões de dólares e aumentou em mais de 40% em comparação com 2021. O volume de negócios entre os países do BRICS e os países da UEE no final de 2022 foi de 263 bilhões de dólares, um aumento de mais de 60% em comparação com o ano anterior. Agora, o candidato a membro do BRICS é o Irã, o que também é um sinal muito importante para nós, porque o Irã é o parceiro comercial mais importante da União Econômica Eurasiática. Este ano, a África do Sul planeja envolver ativamente os países da região africana na cooperação com o BRICS, o que se deve à necessidade objetiva de expandir a cooperação multifacetada dos processos de integração. Além disso, pelo que sabemos, este ano nossos amigos sul-africanos estão planejando convidar representantes da Comissão Econômica Eurasiática e do Secretariado da OCX para uma reunião de líderes do BRICS. Acredito que esse será um novo passo para aprofundar nossa cooperação".


Liu Xuesong, Ministro Plenipotenciário da Embaixada da República Popular da China na Federação Russa, enfatizou que a China continuará a apoiar fortemente e a promover ativamente a multipolaridade e a globalização, que é uma tendência constante no desenvolvimento histórico.


"A tendência da globalização deu o principal impulso à cooperação entre a UEE, a OCX e o BRICS. Todos os países dessas associações estão enfrentando desafios comuns: desenvolvimento econômico, aumento dos padrões de vida da população, bem como o fortalecimento da cooperação externa no espírito de abertura e benefício mútuo", disse ele.


Anil Sooklal, Sherpa da África do Sul para o BRICS, falou on-line. Ele expressou sua esperança de que a UEE, a OCX e o BRICS possam desempenhar um papel de liderança nos processos mundiais quando a Rússia assumir a presidência do BRICS em 2024.


"Nossas organizações trabalhando juntas demonstrarão a sinergia necessária para construir uma nova arquitetura global. Nosso foco está na interação entre os cinco países e os estados do continente africano. Este ano, todos os líderes africanos se reunirão com os líderes do BRICS, e essas reuniões são uma indicação clara do interesse e da confiança da comunidade global no desenvolvimento do BRICS. A cúpula Rússia-África também tem o objetivo de fortalecer os laços entre a Rússia e o continente africano"


Fonte: TV BRICS


Commentaires


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page