Niterói Discos recebe Ronaldo do Bandolim no 'Resenha Musical'

Dando continuidade à programação do podcast 'Resenha Musical', a Fundação de Arte de Niterói, por meio do selo institucional Niterói Discos, apresenta, nesta quinta-feira, 14 de julho, a partir das 10h, o instrumentista Ronaldo do Bandolim. O programa leva ao público um bate-papo com os principais nomes da música da cidade.

Divulgação

Comandado pelo diretor do selo, Tavinho Torreão, o Resenha Musical é uma conversa informal, que busca levar ao ouvinte curiosidades sobre a carreira dos artistas, daquelas que só se ouve na intimidade.


"Queremos levar nosso público à sala de estar do artista, seja ele integrante do nosso cast ou não", revela Tavinho.


Nesta conversa, Ronaldo do Bandolim relembrou sua trajetória musical iniciada em Petrópolis – cidade natal do músico –, as parcerias, os shows, e como, já radicado em Niterói, conseguiu conciliar os palcos com a carreira de engenheiro.


O Artista


Considerado um dos maiores bandolinistas brasileiros, com passagens pelos mais renomados grupos de choro do país, Ronaldo do Bandolim atua no cenário musical há mais de 30 anos. Ainda adolescente, em fins dos anos 60, fez parte do grupo "Os Jovens da Velha Guarda", que abriu as portas para que o músico participasse, a partir de então, de inúmeras gravações, apresentações em programas de TV, concertos e filmes. Ronaldo Souza Silva, como artista, encanta pela precisão e velocidade de sua palhetada. Suas harmonias em poucas notas trazem um sentido especial à música instrumental. Seu carisma e simplicidade não ficam de fora dessa gama de talentos que o músico traz consigo.


Instrumentista já respeitado, passou a integrar, ainda nos anos 70, o badalado conjunto "Época de Ouro". Em uma das icônicas apresentações, o conjunto contou com a participação de Paulinho da Viola, Elton Medeiros e do jornalista Sergio Cabral. Com "Época de Ouro", realizou diversas apresentações dentro e fora do Brasil, chegando ao 1º Free Jazz Festival, em 1995, e participando do projeto Brasil Musical, no mesmo ano. Durante


Nos anos 1990, Ronaldo participou da criação de uma das grandes novidades do universo instrumental, o Trio Madeira Brasil, junto aos violonistas José Paulo Becker e Marcello Gonçalves.


Ronaldo lançou em 1992, pela Niterói Discos, seu primeiro trabalho solo, um LP com 6 canções dos compositores Jonas do Cavaquinho e Juventino Maciel. Em 2008, voltou a gravar pelo selo um CD em homenagem a Ernesto Nazaré.


Em parceria com seu irmão Rogério Souza, lançou outros dois CDs: "Época de Choro" (2007), em homenagem a Carlinhos Leite (ex-integrante do grupo Época de Ouro), e "Retrato Brasileiro" (2009), uma releitura da obra de Baden Powell. Este último novamente pela Niterói Discos.


O podcast 'Resenha Musical’ entra no ar quinzenalmente, sempre às quintas-feiras, às 10h, e fica disponível tanto na página da Rádio Niterói Discos como no canal do Youtube do podcast.


Sobre a Niterói Discos


Nos início dos anos 1998, quando o mundo ainda engatinhava na transição do vinil para o CD, a Niterói Discos já buscava incentivar o artista niteroiense na busca por seu espaço na concorrida indústria fonográfica.


Do primeiro LP da icônica banda 'Os Lobos’, gravado em 1991, passando por artistas iniciantes ou consagrados nacionalmente, a Niterói Discos, que já lançou mais de 180 trabalhos, foi se consolidando como uma referência na cidade, alavancando carreiras, conquistando repercussão nacional, participando de festivais e congressos.


Como dizia o saudoso Arthur Maia, "na ponte não se cobra pedágio, mas couvert artístico". Esse é o espírito que a rádio Niterói Discos pretende levar ao público com o 'Resenha Musical'.


Fonte: Departamento de Imprensa SMC/FAN



300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif