top of page

Niterói participa de seminário do Fórum de Fundos Soberanos Brasileiros

Foi realizado no Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na zona sul do Rio, o II Seminário do Fórum de Fundos Soberanos Brasileiros (FFSB). O Fórum é uma colaboração entre as cidades de Niterói, Maricá, Ilhabela (SP) e o estado do Espírito Santo, com a parceria do Jain Family Institute (JFI) – organização de pesquisa sem fins lucrativos com sede em Nova York – e da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Foto: Luciana Carneiro / Prefeitura de Niterói

Os três municípios e o estado do Espírito Santo foram contemplados com recursos oriundos da produção de petróleo na camada pré-sal da Bacia de Santos e criaram fundos soberanos para utilizar os royalties no desenvolvimento econômico sustentável. No evento, no Rio, aconteceu o lançamento oficial do Fórum com a assinatura dos termos de cooperação entre os fundos de Niterói, Maricá, Ilhabela e o estado do Espírito Santos. O primeiro seminário sobre fundos soberanos aconteceu em junho, em Niterói.


Houve também a divulgação de uma carta de princípios dos membros do Fórum de Fundos Soberanos Brasileiros. O documento reúne práticas e princípios que refletem mecanismos adequados de governança e responsabilidade, assim como boas práticas de investimento.


A secretária municipal de Fazenda de Niterói, Marília Ortiz, participou do seminário e destacou que o Fórum estimula o debate sobre a atuação dos fundos soberanos.


“O Fórum de Fundos Soberanos Brasileiros deve convergir para o debate sobre a boa governança dos fundos, e principalmente como a gente pode construir propostas de desenvolvimento econômico e geração de novas oportunidades para as cidades. Dessa forma, avançamos além da discussão sobre os investimentos financeiros no mercado de capitais. O fundo soberano é um mecanismo de resiliência fiscal para garantir suficiência financeira frente às oscilações decorrentes da volatilidade da receita de royalties”, explicou Marília Ortiz. Em Niterói, o Fundo de Equalização da Receita (FER) foi criado em 2019.


Uma novidade do seminário realizado no Rio de Janeiro foi a presença, como observadores, dos municípios de Conceição do Mato Dentro e Congonhas, ambos em Minas Gerais, que recebem royalties da exploração de minério.


Fonte: Coordenadoria Geral de Comunicação da Prefeitura de Niterói

300x250px.gif
728x90px.gif