O desastre dos clubes do Rio na Copinha

Por Edu Gomes

Coluna "Conexão Clubes do Rio"

Botafogo foi o último carioca eliminado na Copinha, ao ser derrotado pelo América-MG na última terça (18). Foto: Agência Brasil.

A Copa São Paulo de Futebol Júnior, popularmente conhecida como "Copinha", marca o início do calendário anual do futebol nacional. A edição de 2022 já chegou nas semifinais. Hoje (21) às 20h, Santos e América-MG disputarão uma vaga para a grande final do próximo dia 25. Já amanhã (22), em clássico paulista, São Paulo e Palmeiras disputam a segunda vaga na grande decisão.


Das quatro equipes semifinalistas, temos três paulistas e uma mineira. E uma conclusão pode ser alcançada nesse cenário: mais uma vez os clubes cariocas não irão vencer a charmosa Copinha.


Na edição desse ano, o Botafogo foi o clube que mais longe chegou dos quatro grandes, tendo ido até às quartas de final, quando foi derrotado pelo América-MG pelo placar de 1x0 na última terça (18). Vasco e Fluminense caíram nas oitavas. Enquanto a equipe cruzmaltina foi derrotada por 4x2 para o São Paulo, os tricolores perderam para o Santos por 2x1. O Flamengo caiu uma fase antes, na terceira rodada da competição, perdendo para o Oeste por 2x0.


Dos clubes de menor investimento do estado do Rio de Janeiro, a surpresa positiva foi o Resende: a equipe eliminou o poderoso Corinthians (maior campeão da história da Copinha com 10 conquistas) na terceira rodada e só caiu para o Botafogo nas oitavas na disputa por pênaltis, após um empate por 1x1.


Porém, mesmo com a boa surpresa do Resende, a ausência de clubes cariocas nas semifinais da competição liga um alerta e explicita o quanto o trabalho de base deve retornar a ser prioridade no nosso estado. Não que os clubes não tenham tido bons resultados recentes em competições de base no geral, pelo contrário. Mas tratando-se especificamente da Copinha, o resultado tem sido muito aquém do que tais agremiações merecem e podem alcançar.


O último carioca vencedor da Copinha foi o Flamengo, em 2018. Não faz muito tempo, é verdade. Mas se considerarmos que nos últimos 30 anos, o estado do Rio de Janeiro acumulou apenas três conquistas da competição, vemos que os clubes estão deixando a desejar. Desde 1993, o Rio de Janeiro teve o clube campeão apenas em 2011, 2016 e 2018, tendo em todas as ocasiões a taça sido levantada pelo rubro-negro. Além desses três títulos, o Flamengo já havia ganho a Copinha também em 1990.


O Fluminense, segundo clube com mais conquistas na história da competição empatado com o Internacional, já levantou a taça em cinco ocasiões, sendo a última no longínquo ano de 1989. O Vasco possui uma conquista, alcançada no ano de 1992. O Botafogo nunca alcançou o título da Copa SP, tendo sido seu melhor desempenho o vice-campeonato de 1971.


É muito pouco para um estado tão preponderante na história do futebol nacional. Apenas como comparação, os mesmo período de 30 anos desde 1993, o estado de São Paulo acumulou 20 títulos da Copinha. E pode chegar ao 21º no próximo dia 25, se um dos três times vivos na disputa em 2022 vier a ser campeão (lembrando que em 2021 não tivemos disputa, devido as complicações da pandemia). Em tempos de modernização, SAF, profissionalismo e todo o debate que tem rondado os clubes do Rio de Janeiro, não deixar de olhar para as categorias de base é um dos pontos centrais para o sucesso futuro de nossas agremiações.


300x250px.gif
728x90px.gif