Obituário: Sávio Soares de Souza, 97 anos

Na esteira de saudades do decano Sávio Soares de Sousa


Por Márcia Pessanha*


“Grande no homem é ser uma ponte e não um ponto final”. Com essa frase de Nietzche, iniciamos nossa homenagem póstuma ao Acadêmico Sávio Soares de Sousa, decano da Academia Fluminense de Letras, Membro Titular da Academia Niteroiense de Letras e várias outras instituições culturais, falecido hoje - 25 de maio de 2022.


Ausência muito sentida, mas não podemos considerar sua morte como um ponto final. Estamos todos de passagem. E Sávio Soares parte deixando marcas de sua trajetória gloriosa, nos vários espaços bem vividos, quer como procurador, escritor, jornalista, trovador e muito mais. Seu currículo é muito extenso.


Nascido em Niterói, no dia 18 de setembro de 1924, sempre foi uma ponte a unir os amigos com sua generosidade, sua lucidez, sua conversa plena de sabedoria e de bom humor. O próprio nome Sávio já contém o sábio.


E se “a memória é um grande muro de fotografias, onde consagramos determinado espaço a cada criatura querida”, segundo Humberto de Campos, a fotografia de Sávio, além de ser fixada no Quadro dos Imortais das Academias de Letras, ficará para sempre gravada em nossa memória afetiva.

E quando setembro chegar, ocasião em que Sávio completaria 98 anos, com a chegada da primavera e os campos floridos, podemos saudá-lo com os versos de outro saudoso acadêmico, Júlio Cezar Vanni:


(...) Agora, lá no infinito,/onde tudo é mais bonito,/vão mostrar os versos seus/ e encantar com os seus cantos/todos os anjos, todos os santos/ e até o próprio Deus!..


*Presidente da Academia Fluminense de Letras


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg