Obras do Museu da Imagem e do Som serão retomadas


(Foto: Carlos Magno/Governo RJ)

Durante as comemorações do aniversário de 129 anos de Copacabana, nesta terça-feira (6), o governador Cláudio Castro anunciou a retomada das obras do Museu da Imagem e do Som (MIS) até o fim do ano. Segundo ele, o edital para a escolha da empresa que concluirá a construção do museu até dezembro de 2022 será lançado em até 90 dias pela Secretaria de Infraestrutura e Obras. A previsão é que o MIS seja aberto ao público no início de 2023. No total, serão investidos pelo governo do estado R$ 52 milhões.

A obra foi iniciada em 2010 e está parada desde 2015.

"Além de toda a questão simbólica e cultural, demonstra uma nova confiança no Estado do Rio de Janeiro", disse o governador.

Com 70% das obras concluídas, o museu já recebeu R$ 79 milhões de recursos públicos e R$ 118 milhões captados pela Fundação Roberto Marinho junto à iniciativa privada. As duas primeiras fases incluíram demolição, fundação e execução da estrutura do edifício. A última etapa prevê serviços de revestimentos e instalações (elétricas, hidráulicas, sanitárias, de prevenção contra incêndio e especiais), sistemas de sonorização, iluminação, entre outros. Após essa fase, segundo o governo do estado, será feita a implantação da museografia.

"Vamos lançar no mercado sete editais, cada um com a sua função. Estamos otimistas em relação à quantidade de empresas disputando esse certame. A obra é a consolidação do turismo no Rio de Janeiro, uma cidade amada por todo o mundo. O projeto é muito singular, ofertando serviços culturais de última geração para moradores do Rio e turistas", disse o secretário de Infraestrutura e Obras, Max Lemos.

MIS: história da cultura

Com 9,8 mil metros quadrados de área construída, divididas em oito pavimentos, a nova sede do MIS foi criada para ser um boulevard vertical. A ideia é contar a história da cultura brasileira do ponto de vista carioca. O térreo terá uma cafeteria e uma livraria. O mezanino vai abrigar uma exposição temporária. Do primeiro ao quarto piso, haverá exibições temporárias e permanentes, incluindo acervos sobre Carmem Miranda e Carnaval.

Um restaurante com a visão da Praia de Copacabana ficará no mezanino entre o quarto piso e a cobertura, que contará ainda com um cinema a céu aberto. No primeiro subsolo, o público terá acesso a um auditório/teatro, com 280 lugares, e uma boate. No segundo subsolo, ficarão os camarins.

Copacabana Presente

O governador anunciou também a ampliação em seis horas no funcionamento do programa Segurança Presente, que passa a reforçar o policiamento nas ruas em Copacabana e no Leme, das 8h às 2h, já a partir desta terça-feira. O efetivo de 51 agentes - com policiais militares, agentes civis e assistentes sociais - patrulha as principais ruas dos bairros, como as avenidas Atlântica, Nossa Senhora de Copacabana e Princesa Isabela, além das ruas Barata Ribeiro e Toneleros.

De acordo com o governo do estado, desde a sua inauguração, em 20 de janeiro de 2020, o Copacabana Presente conduziu à delegacia mais de 550 suspeitos, cumpriu 55 mandados de prisão, realizou cerca de 2,5 mil atendimentos sociais e encontrou 14 desaparecidos. No primeiro trimestre deste ano, os roubos de celulares na região registraram queda de 54%, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Os roubos a pedestres caíram 45% e a estabelecimento comercial, 27%.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg