Olimpíada de Tóquio terá lei seca e silêncio na torcida


(Divulgação/Tóquio 2020)

Consumo de álcool, comemorações do tipo 'bate aqui' e até conversas em voz alta serão proibidos para o número reduzido de portadores de ingresso que terão acesso aos locais da competição. O total de pessoas presentes não pode ultrapassar 50% da capacidade de cada arena, e limitado a no máximo 10 mil torcedores por evento.

Adiados em um ano devido à pandemia do coronavírus, os Jogos Olímpicos terão um "clima de comemoração" limitado, segundo informou a presidente do Comitê de Tóquio, Seiko Hashimoto.

"Já que o Comitê Organizador quer realizar os Jogos de maneira segura e protegida, é nossa responsabilidade fazê-los acontecer", disse Seiko Hashimoto nesta quarta-feira (23), a um mês da cerimônia de abertura dos Jogos - em 23 de julho. "Então, se nossos cidadãos têm receios [sobre servir álcool durante a Olimpíada], acho que teremos que desistir. É por isso que decidimos proibir a venda de álcool", afirmou a presidente do comitê, ressaltando que levou em conta o alerta de autoridades de saúde, segundo as quais a bebida incentivaria contatos e interação em bares.

Os organizadores levam adiante os preparativos da Olimpíada, ainda chamada de Tóquio 2020, apesar do grande temor do público japonês de que receber atletas de todo o mundo poderia resultar em mais surtos de covid-19.

Reportagens, segundo as quais os organizadores estariam cogitando permitir o consumo de álcool nos locais de competição, provocaram revolta nesta semana, e a hashtag "cancelem os Jogos Olímpicos" provocou dezenas de milhares de tuites.

A venda de álcool será proibida dentro e ao redor da área dos Jogos.

Segundo a mídia local, o patrocinador Asahi Breweries disse que concorda com a decisão de proibir a venda de álcool e que considera a medida natural.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg