Olinda cancela seu tradicional carnaval de rua


(Foto: Diego Galba/Prefeitura de Olinda)

Famoso por seus bonecos gigantes, o carnaval de Olinda vai silenciar pelo segundo ano consecutivo. A prefeitura de Olinda, em Pernambuco, anunciou nesta quarta-feira (5) o cancelamento do tradicional carnaval em 2022. O prefeito Professor Lupércio justificou a decisão pela situação da pandemia de covid-19 e o aumento dos casos no país e na cidade, levando em conta também a alta dos casos de influenza.

“Nós tomamos essa decisão, em coletividade, que estamos cancelando o maior carnaval do mundo. A gente não seria irresponsável de expor a vida de ninguém. Isso é o mais importante”, afirmou o prefeito Professor Lupércio.

O carnaval de Olinda é um dos maiores do país, juntamente com o de Salvador (BA) e do Rio de Janeiro. A folia é tradicional, com destaque para os desfiles de bonecos gigantes, e mobilizava mais de três milhões de pessoas até o início da pandemia em centenas de blocos que apresentam de ritmos tradicionais como o frevo e maracatu ao samba e músicas populares.

Para ajudar os profissionais que atuam no carnaval, a prefeitura também anunciou programas de apoio a trabalhadores e empreendedores que fazem parte da cadeia produtiva dos eventos carnavalescos. Será fornecido um auxílio-carnaval, de valor ainda não divulgado, para artistas, representantes da cultura popular e ambulantes.

Outra iniciativa divulgada foi o Circuito Cultural: Fomento à Cultura, voltada ao apoio de projetos culturais como festivais municipais e festivais multiculturais. Para ter acesso aos investimentos, os agentes deverão ser da cidade.

Ainda conforme a administração municipal, haverá editais para apoio de projetos culturais de grupos e coletivos. A prefeitura ainda não informou quanto será destinado para esses programas de fomento.

Recife também cancela

A Prefeitura de Recife (PE) também anunciou nesta quarta-feira o cancelamento do carnaval de rua de 2022, devido ao avanço da variante ômicron do novo coronavírus e à epidemia de influenza.

Em nota, a prefeitura da capital pernambucana disse que vai "concentrar esforços para combater aumento de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG)".

Diversas capitais, como Rio, Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza e São Paulo, também não terão a festa de rua.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg