OMS reitera: cloroquina não tem eficácia contra Covid-19


O diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, afirmou nesta quarta-feira (20) que a cloroquina e a hidroxicloroquina não têm eficácia comprovada para o tratamento de coronavírus.

De acordo com Ryan, os dois medicamentos são produtos licenciados com uso indicado para muitas doenças, mas eles não têm sido "efetivos" para o tratamento da COVID-19, seja para pacientes já infectados ou para uso de maneira preventiva. O diretor de emergências da OMS também alertou para os "efeitos colaterais" das drogas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na segunda-feira (18) que estava tomando cloroquina há mais de uma semana de maneira preventiva contra o coronavírus.

No Brasil, o Ministério da Saúde divulgou diretrizes nesta quarta-feira (20) autorizando o uso de cloroquina e da hidroxicloroquina no Sistema Único de Saúde (SUS) em pacientes com sintomas leves. Apesar de estudos apontarem riscos potenciais do uso do medicamento, a cloroquina é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e um dos pivôs da saída do então ministro da Saúde Nelson Teich.

Médicos não assinam

O texto divulgado pelo Ministério da Saúde com a aprovação do uso da cloroquina já a partir do primeiro estágio da doença não contém assinaturas de médicos ou técnicos do ministério, agora sob o comando de 17 oficiais das Forças Armadas nomeados pelo presidente Bolsonaro, defensor intransigente da mudança do protocolo para tratamento da Covid-19. O protocolo anterior, divulgado em 6 de abril pelo Ministério da Saúde, apresentava uma lista de profissionais de hospitais e associações médicas que participaram da elaboração do documento.


Com Sputnik Brasil

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif