Ônibus somem no terminal João Goulart durante a madrugada

Alegando alta no preço do diesel e falta de reajuste nas passagens, empresas de ônibus de Niterói retiraram os veículos que circulavam de madrugada no Terminal João Goulart. A denúncia foi feita nesta quarta-feira (20/7) pelo Sindicado dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e ao Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ).

Reprodução / Redes Sociais

Segundo nota oficial divulgada pelo Sintronac, a ausência do ônibus chamado popularmente de 'sereno' causa enorme prejuízo à população e afeta, também, os próprios rodoviários que não têm como chegar a seus locais de trabalho para cumprir determinados horários, especialmente os de primeiro turno.


"É lamentável a total falta de sensibilidade, tanto das empresas, quanto do poder público, com um meio de transporte essencial para a população, pois, se uma pessoa passar mal de madrugada, não terá acesso a um hospital. Isso sem contar os trabalhadores, que saem muito cedo de casa para locais distantes", diz a nota, assinada pelo presidente do sindicato Rubens dos Santos Oliveira.


Leia na íntegra


“O Sindicado dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) denunciou, nesta quarta-feira (20/7), as empresas de ônibus de Niterói, além do poder concedente, a Prefeitura, junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e ao Ministério Público do Estado (MPRJ), sobre a retirada dos ônibus, que circulavam na madrugada no Terminal João Goulart, os chamados ‘sereno’.


A ausência dos ônibus, além de causar enorme prejuízo à população, também afeta os rodoviários, que estão sem meios de transporte para chegar em seus locais de trabalho, ou seja, as próprias companhias de ônibus, no horário do primeiro turno. Eles são obrigados a usar seus próprios veículos ou se organizar em caronas com amigos.


É lamentável a total falta de sensibilidade, tanto das empresas, quanto do poder público, com um meio de transporte essencial para a população, pois, se uma pessoa passar mal de madrugada, não terá acesso a um hospital. Isso sem contar os trabalhadores, que saem muito cedo de casa para locais distantes.


As empresas alegam que a alta do diesel e a falta de reajuste tarifário tem comprometido seu faturamento e inviabilizado suas operações. Ao mesmo tempo, o poder público justifica sua inércia com um suposto projeto de reformulação do transporte em Niterói, que, no entanto, não foi apresentado para discussão entre os mais interessados, a população e os trabalhadores rodoviários".


Rubens dos Santos Oliveira, presidente do Sintronac.

 

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif