ONU mostra preocupação com ameaças contra STF

Atualizado: 7 de set. de 2021


(Foto: Marcos Corrêa/PR)

O Alto Comissariado para Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) revelou estar preocupado com as constantes ameaças direcionadas ao Supremo Tribunal Federal (STF) no Brasil. O órgão mundial reiterou que passou a "acompanhar de perto" a situação política no país após as convocações das manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro de inclinação golpista.

Citado pelo jornalista Jamil Chade no portal UOL, a entidade reiterou também a "importância de proteger o direito à liberdade de reunião pacífica, bem como suas preocupações com casos de discurso de ódio contra povos indígenas e ameaças contra instituições como o Supremo Tribunal Federal".

O posicionamento da ONU coincide com a divulgação de uma nota, assinada por ex-presidentes, ex-primeiros-ministros, parlamentares e outras personalidades de 26 países de diferentes Continentes, em que os signatários denunciam a ameaça democrática e a possibilidade de uma "insurreição" por trás dos atos.

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) - colegiado formado por 11 representantes da sociedade civil e 11 do poder público - já havia solicitado ações da ONU durante a última semana, pedindo inclusive para que o Alto Comissariado designasse "observadores externos, especialmente às cidades de Brasília e de São Paulo, para relatar violações aos direitos humanos dos que defendem a democracia brasileira.

O CNDH aponta que, "além de ameaçarem que não haverá eleições presidenciais em 2022, ao passo em que se aproxima a data comemorativa da Independência do Brasil, 7 de setembro, setores antidemocráticos amparados pelo presidente da República têm propagado ameaças de um golpe de Estado."

300x250px.gif
728x90px.gif