top of page
banner niteroi carnaval 780x90px 16 02 24.jpg

Partido de Bolsonaro pede cassação de Janones por suposta 'rachadinha'


(Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)

O PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro e do filho Zero Um, o senador Flávio Bolsonaro, encaminhou à Mesa Diretora da Câmara pedido de cassação do mandato do deputado federal André Janones (Avante-MG), por suposta prática de "rachadinhas". O pedido passará pelo Conselho de Ética, que deverá acolher ou não a representação e transformá-la em processo.


Além do pedido de cassação, um grupo de 45 deputados também apresentou uma notícia crime contra o parlamentar do Avante à Procuradoria-Geral da República (PGR) por suposto ato de improbidade administrativa, com enriquecimento ilícito e dano ao patrimônio, ao promover o suposto esquema de "rachadinha".


A ação, com base na Lei nº 8.429/92, liderada pelo deputado Paulo Bilynskyj ocorreu após áudios entre ex-assessores de Janones e o deputado serem divulgados para a imprensa na segunda-feira (27).


Nos áudios, que segunda a denúncia ocorreram em 2019, o parlamentar foi gravado cobrando parte dos salários dos assessores para pagar dívidas de campanha. Janones diz que as declarações foram distorcidas


Entre os parlamentares que assinaram a notícia-crime, há 11 deputados da base do governo de Luís Inácio Lula da Silva: União Brasil (5), PSD (1), Republicanos (3), PP (1) e MDB (1) a frente de dez ministérios.


“Tem algumas pessoas aqui, que eu ainda vou conversar em particular depois, que vão receber um pouco de salário a mais e elas vão me ajudar a pagar as contas que ficou (sic) da minha campanha de prefeito”, afirma Janones no áudio, ao relatar que tem uma dívida de R$ 675 mil. A gravação foi feita por um ex-assessor durante uma reunião no dia 5 de fevereiro de 2019 na Câmara dos Deputados, em Brasília.


“‘Ah, isso é devolver salário e você está chamando de outro nome’. Não é! Porque eu devolver salário, você manda na minha conta e eu faço o que eu quiser, né? Isso são simplesmente algumas pessoas que eu confio, que participaram comigo em 2016 e que eu acho que elas entendem que realmente o meu patrimônio foi todo dilapidado. Eu perdi uma casa de R$ 380 mil, um carro, uma poupança de R$ 200 mil e uma previdência de R$ 70 (mil) e eu acho justo que essas pessoas também hoje participem comigo da reconstrução disso”, acrescenta Janones na gravação.


No áudio, Janones disse também que é injusto ele ganhar R$ 25 mil e usar R$ 15 mil para pagar a dívida da campanha dele à Prefeitura de Ituiutaba em 2016.


“O Mário vai ganhar R$ 10 mil. Eu vou ganhar R$ 25 mil líquido. Só que o Mário, os R$ 10 mil é dele líquido. E eu, dos R$ 25 mil, R$ 15 mil eu vou usar para as dívidas que ficou de 2016. Não é justo, entendeu?”, afirma.


Janones alega que o áudio foi retirado de contexto para lhe imputar um crime que jamais cometeu. Disse ainda que não era deputado na época em que a conversa foi gravada.


De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a prática conhecida como “rachadinha” configura crime de peculato (uso de dinheiro público para fins pessoais). Se condenado por improbidade, Janones pode ficar inelegível por oito anos.


'Rachadinhas' dos Bolsonaro

O caso de rachadinhas mais notório até então envolvia integrantes da família Bolsonaro, como o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ). A denúncia do caso foi rejeitada após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) anular decisões do juiz que conduziu o processo no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, após tornar réu o filho Zero Um do ex-presidente e mais dezesseis pessoas do entorno do parlamentar que teriam feito parte do esquema.

Chamada Sons da Rússia5.jpg
banner niteroi carnaval 300x250px 16 02 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page