Partidos pedem cassação do filho 03 por ataque a Miriam


(Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

Partidos acionaram o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados com um pedido de cassação do mandato do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) após o ataque à jornalista Miriam Leitão, O presidenciável Ciro Gomes (PDT) apoiou a jornalista e chamou o parlamentar de "verme". O ex-presidente Lula também se solidarizou.

O filho 03 do presidente Jair Bolsonaro (PL) atacou a colunista do Globo nesse domingo (3), em razão do artigo "Única via possível é a democracia", em que ela diz que Jair Bolsonaro é um inimigo confesso da democracia, e o ex-presidente Lula não pode ser igualado a ele por ter atuado como um líder democrático. “Como escrevi neste espaço em maio de 2021, não há dois extremistas na disputa, mas apenas um, Jair Bolsonaro. Semana passada, novamente, Bolsonaro provou que ele é um perigo para a democracia", escreveu. O deputado reagiu debochando da tortura sofrida pela jornalista durante a ditadura militar em 1972.

"Ainda com pena da cobra", escreveu o parlamentar em sua conta oficial no Twitter, fazendo referência à tortura sofrida por Miriam, que estava grávida, à época, e foi trancada nua em uma sala sem iluminação junto com uma cobra jiboia. Além disso, ela foi agredida fisicamente.

Nesta segunda-feira (4), os partidos PSOL e Rede apresentaram ao Conselho de Ética da Câmara um pedido de cassação do mandato do deputado. No pedido, os partidos classificam a declaração de Eduardo Bolsonaro como "abjeta, repugnante e criminosa".

Em rede social, o ex-presidente Lula publicou uma mensagem de solidariedade à jornalista. “Minha solidariedade à jornalista Miriam Leitão, vítima de ataques daqueles que defendem o indefensável: as torturas e os assassinatos praticados pela ditadura. Seres humanos não precisam concordar entre si, mas comemorar o sofrimento alheio é perder de vez a humanidade”.

“Obrigada, Lula por essa mensagem de solidariedade, que reforça valores fundamentais na democracia: o respeito entre pessoas, mesmo quando divergem, e a empatia que deve prevalecer entre seres humanos”, escreveu Miriam.

Ciro Gomes também apoiou Miriam, desclassificando o filho do presidente. “Difícil saber quem é o pior dos torturadores. O que fere primeiro ou o que reacende a chaga da memória sempre aberta de um torturado. Ao debochar de Miriam Leitão, o verme Eduardo Bolsonaro nos provoca esta sombria reflexão”, postou.

“E nos faz lembrar que falta alguém nos bancos da Corte Internacional de Haia. Este verme não vai sentar ali sozinho, mas com outros membros de sua nefasta família. Este dia, canalhas, chegará mais rápido do que vocês pensam”, acrescentou Ciro.

300x250px.gif
728x90px.gif