Pesquisadora brasileira inspira versão da Barbie

A fábrica de brinquedos Mattel fez uma homenagem a seis cientistas que estão à frente das pesquisas sobre o novo coronavírus. Elas foram transformadas em bonecas que são um ícone mundial: a Barbie. Uma das pesquisadoras que inspirou versão da boneca é a biomédica brasileira Jaqueline Góes de Jesus. Ela faz parte da equipe responsável pelo sequenciamento genético do Sars-CoV-2 nos primeiros casos de covid-19 registrados na América Latina.

Arquivo Pessoal

Logo no início da pandemia do novo coronavírus, sob coordenação da imunologista Ester Cerdeira Sabino, ela e a equipe de cientistas conseguiram sequenciar o genoma do vírus SARS-CoV-2 apenas 48 horas após a confirmação do primeiro caso de covid-19 no Brasil. Um tempo recorde, bem abaixo da média mundial, que é de 15 dias. As amostras vieram do primeiro paciente brasileiro infectado pelo novo coronavírus, em 26 de fevereiro de 2020.

Divulgação / Mattel

Destaque na ciência


Antes de trabalhar nas pesquisas do novo coronavírus, a doutora Góes de Jesus — que tem apenas 31 anos e uma carreira de destaque na profissão — participou da equipe que sequenciou o genoma do vírus da zika.


Baiana de Salvador, Jaqueline é filha de uma enfermeira e de um engenheiro civil. É pesquisadora bolsista da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), em nível de pós-doutorado, no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo — Universidade de São Paulo (IMT-USP). Também desenvolve pesquisas na área de arboviroses emergentes.


Graduada em Biomedicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, é mestre em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa (PgBSMI) pelo Instituto de Pesquisas Gonçalo Moniz — Fundação Oswaldo Cruz (IGM-FIOCRUZ) e Doutora em Patologia Humana pela Universidade Federal da Bahia em ampla associação com o IGM-FIOCRUZ.


*Com informações da BBC Brasil

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3