PF abre inquérito sobre esquema da vacina Covaxin


Laboratório Bharat Biontech, fabricante da vacina Covaxin, na Índia (Divulgação)

A pedido Ministério Público Federal (MPF), foi aberto nesta quarta-feira (30) um inquérito na Polícia Federal (PF) para investigar a denúncia de indícios de corrupção nas negociações para aquisição da vacina indiana Covaxin contra a covid-19 pelo Ministério da Saúde. Esta denúncia foi levada há três meses ao conhecimento do presidente Jair Bolsonaro, que nada fez.

O contrato para a compra de 400 milhões de doses da Covaxin se tornou alvo também da CPI da Covid, no Senado, depois que o deputado Luis Miranda (DEM-DF) e o irmão dele, Luis Ricardo, chefe do Departamento de Importação do ministério, denunciaram suspeitas de um esquema de corrupção na pasta após já terem levado o assunto pessoalmente a Bolsonaro no dia 20 de março. Segundo os irmãos Miranda, Bolsonaro disse que "isso é coisa do Ricardo Miranda [líder do governo na Câmara]" e que iria mandar o diretor-geral da Polícia Federal investigar, mas nada fez.

Na terça-feira (29), o governo anunciou a suspensão do contrato de compra da vacina indiana para uma "revisão do processo" a fim de identificar eventuais irregularidades.

Também na terça-feira, senadores entraram com uma notícia-crime junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o presidente da República seja investigado por prevaricação, considerado crime de responsabilidade, passível de processo de impeachment.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg