PF conclui que ministro de Bolsonaro recebeu propina


(Foto: Moreira Mariz/Agência Senado)

A Polícia Federal (PF) concluiu que o atual ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), recebeu propinas do grupo J&F e cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O relatório final da investigação foi enviado na sexta-feira (8) ao Supremo Tribunal Federal (STF). A defesa de Nogueira nega qualquer irregularidade, segundo o Globo.

Agora o STF encaminhará as evidências para o procurador-geral da República, Augusto Aras. Ele definirá se apresenta denúncia contra Ciro ou arquiva o caso.

Os pagamentos de propina, segundo a PF, teriam sido feitos a Ciro para que o PP, partido de Jair Bolsonaro na época, apoiasse a campanha de reeleição da então presidente Dilma Rousseff em 2014.

A PF rastreou, entre outros pontos, repasses feitos a um irmão do ministro por meio de um supermercado fornecedor do grupo J&F.

A investigação teve início com base na delação premiada dos executivos do grupo J&F, mas a Polícia Federal aponta no relatório que obteve provas independentes que corroboram os relatos.

A PF não chegou a indiciar Nogueira devido ao foro privilegiado de ministro de Estado.

O inquérito foi conduzido pela Coordenação de Inquéritos nos Tribunais Superiores (Cinq), vinculada à sede da Polícia Federal, em Brasília.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg