PF prende cúpula da administração penitenciária do Rio


Raphael Montenegro, secretário de Administração Penitenciária do estado do Rio de Janeiro (Reprodução)

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã desta terça-feira (17) três dos principais integrantes da cúpula da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado Rio de Janeiro (Seap). Com mandados de prisão temporária e de busca e apreensão, os agentes prenderam o secretário da pasta, Raphael Montenegro Hirschfeld, e os subsecretários Wellington Nunes da Silva e Sandro Farias Gimenes, sob suspeita de participarem de um esquema criminoso para favorecimento de um dos maiores líderes do tráfico de drogas no estado, Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, preso no Paraná.

A ação ocorre após a soltura de Wilton Carlos Rabello Quintanilha, conhecido como ‘Abelha’, apontado como um dos chefes do tráfico de drogas do Comando Vermelho. A liberação do criminoso aconteceu mesmo com um mandado de prisão ativo.

De acordo com as investigações, o secretário Raphael Montenegro e os dois subsecretários realizaram diligências para viabilizar o retorno de Marcinho VP, do Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná, para o Rio de Janeiro, em 28 de maio deste ano. O traficante está fora do Rio desde 2007. Montenegro fez uma visita à penitenciária federal para uma conversa com o detento. O fato chamou a atenção da unidade prisional.

As conversas teriam sido gravadas, e o conteúdo se encontra em segredo de Justiça. Todas as unidades federais, de segurança máxima, contam com um sistema de escuta ambiental.

A investigação contou com o apoio do Ministério Público Federal (MPF) e do Departamento Penitenciário Federal (Depen) e apontam ainda que as autoridades penitenciárias facilitaram a entrada de pessoas e itens proibidos em unidades prisionais do estado.

Cotado para ser desembargador

De acordo com informação divulgada por Ancelmo Gois, o agora ex-secretário da Seap - ele foi exonerado após a sua prisão - era um dos favoritos para ser desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro pelo Quinto Constitucional, como um dos indicados pela OAB-RJ. Em 2019, Montenegro foi indicado pelo então governador Wilson Witzel para ser chefe de gabinete. O advogado é enteado do ex-desembargador federal Abel Gomes, responsável pela Lava Jato no Rio, e filho da desembargadora Jaqueline Montenegro.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg