PF prende homem que fez ameaças a Lula e a ministros do STF

Atualizado: 26 de jul.


Ivan Rejane ainda postou vídeo antes de ser preso (Reprodução)

Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, bolsonarista e ex-candidato a vereador de Belo Horizonte pelo PSL em 2020, foi preso nesta sexta-feira (22) pela Polícia Federal sob acusação de fazer ameaças nas redes sociais ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à Presidência nas eleições de outubro, a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e políticos de esquerda, como a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e o candidato do PSB a governador do Rio, Marcelo Freixo. A ordem de prisão temporária foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, a pedido da própria PF, que alertou Moraes para o risco de Ivan promover "ações violentas" diretamente ou com a adesão de voluntários, "mediante inclusive a 'luta armada'".

"Os fatos apurados revelam que Ivan Rejane Fonte Boa Pinto utiliza suas redes sociais e aplicativos de mensagens para propagar e arregimentar pessoas para seu intento criminoso", escreveu Moraes na decisão.

As ameaças foram divulgadas em um vídeo nas redes sociais, no qual Ivan disse que Lula deveria andar com segurança porque ele iria "caçar" o ex-presidente, a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ).

"Eu vou dar um recado para a esquerda brasileira, principalmente para o Lula: ô desgraçado, bota o pé na rua que nós vamos te mostrar o que nós vamos fazer com você. Anda com segurança armada até o talo, que nós da direita vamos começar a caçar você, essa Gleisi Hoffmann, esse Freixo frouxo do cara***, todos esses que te cercam, vagabundo”, diz Ivan no vídeo que foi tirado do ar pelo Instagram e Facebook.

O bolsonarista prossegue fazendo ameaça nominalmente a ministros do STF e suas famílias: “Se eu fosse você, Barroso, Fachin, Fux, Moraes, Lewandowski, Mendes, eu ficava nos EUA, em Portugal, na Europa, até vocês duas, vad***, Cármen Lúcia e Rosa Weber, sumam do Brasil, nós vamos pendurar vocês de cabeça para baixo. (…) Nós cidadãos de bem não toleramos gente escrota como vocês. (…)”.

Horas antes de ser preso nesta sexta, o bolsonarista voltou a atacar dizendo ser um general e chamando Moraes de "vagabundo", e afirmou que "querem fraudar as eleições". Ele encerra o vídeo prestando continência.

"São os bandidos que tiraram 'tecnicamente' as condenações do Lula pra tentar fraudar as eleições. Nós temos que estar muito cientes disso. Querem fraudar as eleições. E vão conseguir uma guerra civil neste país. Eu sou um general. Pra esse vagabundo aí que pediu pra me prender, vem aqui me prender você. Vem aqui, tchutchuca (sic). Moleques como você eu como antes do café da manhã, no pré-treino", diz ele.

No despacho da decisão que determinou a prisão de Ivan Pinto, Moraes afirma que "garantias individuais [...] não podem ser utilizadas como um verdadeiro escudo protetivo para a prática de atividades ilícitas, tampouco como argumento para afastamento ou diminuição da responsabilidade civil ou penal por atos criminosos, sob pena de desrespeito a um verdadeiro Estado de Direito".

Moraes ainda deixou um recado a grupos extremistas que planejem atos antidemocráticos: "Liberdade de expressão não é Liberdade de agressão! Liberdade de expressão não é Liberdade de destruição da Democracia, das Instituições e da dignidade e honra alheias! Liberdade de expressão não é Liberdade de propagação de discursos mentirosos, agressivos, de ódio e preconceituosos!"

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif