top of page

PGR pede inquérito contra Magno Malta por ofensas racistas


(Foto: Pedro França/Agência Senado)

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de um inquérito contra o senador Magno Malta (PL-ES) para apurar a gravidade de suas declarações sobre o jogador Vinícius Jr, vítima contumaz de insultos racistas em jogos do Real Madri na Espanha.


Na terça-feira (23), Magno Malta criticou a imprensa por estar "revitimizando" o atleta e ainda cobrou associações da causa animal para que "defendam os macacos". A fala foi apontada como racista e repudiada por políticos, artistas, ativistas, atletas, intelectuais e imprensa de modo geral.


“As emissoras ficam com esse assunto desde ontem, reverberando, revitimizando ele, porque o assunto dá Ibope pra eles ganharem mais patrocinadores. É uma ‘descaração’ isso”, disse o senador que ainda começou a fazer uma analogia com picada de cobra e o antídoto, feito com o próprio animal.


"Cadê os defensores da causa animal que não defendem o macaco? O macaco está exposto, veja quanta hipocrisia. E o macaco é inteligente, é bem pertinho do homem, a única diferença é o rabo. Tudo que você pode imaginar ele tem”, continuou.


A sessão no senado discutia um projeto de lei sobre doações para pesquisa científica deduzidas do Imposto de Renda, mas o senador fez questão de lembrar o caso Vini Jr. “Eu, se fosse jogador negro, entrava em campo com uma leitoinha branca nos braços. Dava um beijo nela e falava ‘olha como não tenho nada contra branco. Eu ainda como”, afirmou, para espanto de outros parlamentares.


Nesta quinta-feira (25), após ser questionado por parlamentares governistas sobre suas falas, Magno Malta tentou se justificar, dizendo que fez "uma analogia para defender" o atleta, e citou que é um homem negro e pai de uma negra.

コメント


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page