Polícia de Minneapolis será desmantelada


Policial de Minneapolis mata por asfixia George Floyd. Crime gerou os protestos nos EUA e Europa (Reprodução)

A Câmara Legislativa da cidade de Minneapolis, no estado de Minnesota, aprovou neste domingo (7) o desmantelamento de seu departamento de polícia, que será reconstruído.

George Floyd, que é negro, foi morto no dia 25 de maio quando estava sob custódia da polícia, ao ser asfixiado devido à pressão exercida durante quase nove minutos contra seu pescoço pelo joelho do policial branco Derek Chauvin. O agente foi acusado de homicídio e deverá se apresentar ante o tribunal nesta segunda-feira (9).

O caso gerou uma onda de protestos contra o racismo e a violência policial nos Estados Unidos e até em outras cidades do mundo.

"Nos comprometemos a desmantelar a polícia como a conhecemos na cidade de Minneapolis e a reconstruir com nossa comunidade um novo modelo de segurança pública, que realmente mantenha nossa comunidade segura", disse a presidente da assembleia, Lisa Bender, em entrevista para a CNN, segundo publicado pela agência AFP.

O prefeito de Minneapolis, Jacob Frey, disse que é contra a medida, embora defenda reformas para combater o racismo na polícia.

Novo dia de protestos nos EUA

A votação na câmara local acontece após a pressão gerada por duas semanas de protestos nos EUA. Neste domingo (7), houve novas manifestações em dezenas de cidades. Os atos, ao contrário do que aconteceu no início do movimento, terminaram sem confrontos com a polícia.

Em Nova York, que encerrou um toque de recolher decretado no início da onda de protestos, milhares foram às ruas para criticar a brutalidade da polícia.

Na capital Washington, o senador republicano Mitt Romney, um dos poucos em seu partido a manifestar oposição ao presidente Donald Trump, juntou-se aos manifestantes nas proximidades da Casa Branca.


Da Agência Sputnik

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif