Polícia descarta agressão e conclui que deputada sofreu queda


A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) não foi agredida por invasor em seu apartamento funcional em Brasília como ela alegou para a polícia. Ao finalizar as investigações, a Polícia Civil do Distrito Federal concluiu, nesta sexta-feira (13), que a parlamentar sofreu uma "queda da própria altura, possivelmente em decorrência de efeitos de remédio para dormir".

"No caso, não se evidenciou quaisquer elementos que apontassem para a prática de violência doméstica ou atentado/agressão por parte de terceiros", destacou a nota da corporação.

A deputada havia afirmado que, na madrugada de 18 de julho, acordou com ferimentos no queixo, dois dentes quebrados, fraturas no rosto e "mergulhada em uma poça de sangue" no chão do apartamento, mas não lembrava o que ocorreu. Ela suspeitou de algum "inimigo político" que teria entrado na residência e a espancado enquanto dormia.

A perícia técnica concluiu que não houve invasão de pessoas estranhas no apartamento. O inquérito foi encaminhado ao Ministério Público e ao Judiciário.

O advogado da deputada, Antônio Carlos de Almeida Castro, afirmou que "acata a decisão técnica" da polícia.

"A defesa técnica da Deputada Joice Hasselmann tomou conhecimento da nota oficial da Polícia Civil de Brasília que chegou à conclusão de que os ferimentos foram causados por uma queda. A defesa reitera a confiança no trabalho técnico da Polícia sendo certo que a Deputada sempre se colocou à disposição para contribuir para o descobrimento da verdade. Ressalta que, de qualquer maneira, o episódio serviu para discutir a segurança nas residências oficiais. A defesa elogia o profissionalismo tanto da polícia legislativa quanto da polícia civil", disse o advogado.

300x250px.gif
728x90px.gif