Ponta Negra sedia competição de surf profissional e amador


Foto: Reprodução

Começou nesta terça-feira (26/7) e vai até 31/07 o Campeonato Maricá Surf Pro Am 2022, na Praia de Ponta Negra, reunindo surfistas profissionais e amadores de todo o Brasil, divididos nas categorias masculino, adulto, juvenil e master. Com o apoio da Prefeitura, a competição é promovida pela Federação de Surfe do Estado do Rio de Janeiro (Feserj), em parceria com a Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), suporte da Associação de Surf e Bodyboard de Ponta Negra (ASBPN), além das marcas Surfland, Fumax e Silverbay.


Os atletas profissionais que participam da etapa que teve início nesta terça-feira e segue até sexta-feira (29/07), estão disputando pontos para a Taça Brasil da CBSurf (7A) e para o Estadual Profissional do Rio (5A). Já as disputas amadoras do Estadual do Rio (Feserj 5A) serão realizadas nos dias 29 e 31.


As oficinas gratuitas de surfe oferecidas pela tradicional escola do Centro de Aprendizagem e Desenvolvimento do Surfe (Cades), acontecem entre os dias 29 e 31, exclusivamente para alunos da rede municipal de ensino de Maricá, além de uma categoria Open Local, composta apenas por atletas inscritos pela Associação de Surf e Bodyboard de Ponta Negra (ASBPN). Quem for assistir ao campeonato esportivo vai ter acesso à gastronomia local, shows ao vivo e diversão para crianças.


“Amanhã inicia a oficina de surfe com o pessoal da federação. As crianças estarão aqui aprendendo o surfe e ouvindo um pouco os campeões. Fazer a interação da cidade com a modalidade, podendo trazer atletas a nível nacional e mundial é um ganho para gente”, afirmou o secretário de Esporte e Lazer, Filipe Bitencourt.


Etapas da competição


Na categoria profissional, 115 atletas entre homens e mulheres disputam as 12 vagas destinadas à Taça Brasil da CBSurf. Nesta etapa, quatro competidores (divididos em 24 baterias entre feminino e masculino) entram na água simultaneamente com o objetivo de atingir a maior pontuação. Para isso, durante o tempo máximo de 20 minutos no mar são avaliados o grau de dificuldade e o risco de cada manobra – inovadoras e agressivas – e o tamanho da onda. Os dois atletas de cada bateria se classificam para a próxima fase até sobrarem quatro competidores que fazem a grande final.


“Estamos vendo um crescimento do esporte na cidade, pois ele é bem recebido pela população. Nosso maior objetivo é plantar uma semente para que futuramente o surfista local esteja disputando as finais do amador e do profissional”, disse o presidente da Feserj, Guilherme Aguiar.


Atleta da Bahia, Yuri Santos está confiante para fazer uma bela apresentação nesta quarta-feira (27/07). “Maricá tem umas ondas mais fortes e com bancada mais rasa. É uma onda desafiadora e cheia de surpresas. Para nós que somos competidores isso é ótimo. Estou confiante e animado, já que os treinamentos estão em dia”, declarou.


Morador de Ponta Negra, no estado do Rio Grande do Norte, Marivaldo Dantas está ansioso para ver seu sobrinho competir nesta quarta-feira. “É uma emoção dupla porque me vejo no lugar dele e, ao mesmo tempo, me sinto feliz dando esse apoio tão necessário para esses atletas que competem”, contou o ex-surfista, tio do Matheus Lucas, de 14 anos.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif