Português erra e Flamengo perde o tri da Supercopa


(Foto: Pedro Souza/Atlétio-MG)

Em partida movimentada na Arena Pantanal, em Cuiabá, a Supercopa foi decidida nos detalhes entre Atlético-MG e Flamengo. Depois de empate por 2 a 2 no tempo regulamentar, a disputa por pênaltis envolveu todos os jogadores que estavam em campo e só foi definida após a segunda série de cobranças. Foi aí que Paulo Souza, que havia errado na entrada de Diego, voltou a errar, deixando de escalar o seu artilheiro e melhor batedor de pênalti, Gabigol, após a segunda cobrança bem sucedida de Hulk. Em vez de Gabigol, que havia sido certeiro como sempre em sua cobrança, o técnico português escalou Vitinho, que perdeu. O Galo venceu por 8 a 7 e conquistou o título inédito. O Flamengo havia vencido as duas primeiras edições da competição e disputava o tricampeonato.

Mesmo em início de temporada, as duas equipes imprimiram um ritmo forte desde o início, com o Flamengo mais presente no campo de ataque e o Galo perigoso de forma mais eficiente. Gabigol teve duas chances na primeira etapa, mas acabou concluindo para fora em ambas as oportunidades.

Já a equipe mineira foi certeira. Aos 40 minutos, Guilherme Arana arriscou de fora da área, o goleiro Hugo Souza falhou ao espalmar para frente e o argentino Nacho Fernández aproveitou o rebote para abrir o placar em Cuiabá.

Na segunda etapa, disposta a mudar o destino do jogo, o Flamengo foi para cima e conseguiu a virada antes dos vinte minutos de partida.

Aos 10 minutos, Arrascaeta recebeu grande lançamento pela esquerda e cruzou. Bruno Henrique cabeceou, Everson fez grande defesa, mas o rebote caiu nos pés de Gabigol, que estufou as redes para empatar.

Oito minutos depois, em lance rápido de Arrascaeta e toque preciso de Lázaro, que havia acabado de entrar, Bruno Henrique recebeu de frente para Everson e tocou com categoria para encobrir o goleiro e virar o placar.

Logo em seguida, com Bruno Henrique esgotado após desabar duas vezes em campo, o técnico português facilitou as coisas para o Atlético ao colocar Diego na vaga do atacante. A partir daí, a equipe mineira cresceu e passou a dominar as ações sem o risco de sofrer os contra-ataques perigosos até então puxados por BH.

Aos 30 minutos, a igualdade foi novamente estabelecida no placar. Após cruzamento da direita, o chileno Vargas ajeitou de cabeça e Hulk, depois de dominar e deixar quicar a bola, empatou a partida.

Cientes do destino que levaria a definição do campeão para a disputa por pênaltis, os dois times se lançaram ao ataque em busca do gol salvador. O Galo teve a oportunidade com o volante Jair, que chutou colocado da entrada da área e parou no goleiro Hugo Souza.

Já o Flamengo quase marcou em jogada trabalhada por Gabigol e Vitinho pela esquerda, mas Guilherme Arana foi providencial para fazer o corte quando Lázaro chegava para finalizar na cara do gol.

Os pênaltis, então, tornaram-se uma realidade. A disputa que decidiria o campeão começou em alto nível, com as duas equipes convertendo todas as cobranças na série original de cinco para cada time. No entanto, quando se iniciaram as cobranças alternadas, o drama se instalou. Por três vezes, o Flamengo, que cobrou sempre depois do Galo, teve a chance de fechar o jogo. Nas três vezes, falhou. Ambas as equipes rodaram todos os onze jogadores disponíveis, inclusive os goleiros, que erraram as cobranças. No começo da segunda rodada de cobranças, o técnico atleticano escalou seu maior artilheiro e melhor batedor, Hulk, que converteu pela segunda vez. Vitinho, que havia acertado na primeira rodada, foi escolhido por Paulo Souza e viu sua cobrança parar nas mãos do goleiro Everson, dando o título ao Galo.

A conquista, alcançada em 2022, é a cereja no bolo do ano de 2021 do time mineiro. A Supercopa do Brasil é disputada entre os vencedores do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil do ano anterior. Como o Galo ganhou ambos os títulos na última temporada, o Flamengo, vice-campeão do Brasileirão, foi o desafiante.

300x250px.gif
728x90px.gif