'Precisamos atingir Lula na cabeça' escreve procuradora


A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolou nesta sexta-feira (12) no Supremo Tribunal Federal (STF) mais uma série de mensagens extraídas do âmbito da Operação Spoofing para comprovar ilegalidades, parcialidades e perseguições da Lava Jato de Curitiba contra o petista. Novos diálogos obtidos pelos advogados apontaram que a procuradora da república Carolina Rezende citou Lula como o principal alvo da operação. Ela integrava a equipe do então procurador-geral da República Rodrigo Janot em 2016. A troca de mensagens ocorreu no dia 5 de março daquele ano, um dia após Lula ser conduzido coercitivamente para depor na Polícia Federal.

"Pessoal, fiquei pensando que precisamos definir melhor o escopo pra nós dos acordos que estão em negociação. Depois de ontem, precisamos atingir Lula na cabeça (prioridade número 1), pra nós da PGR, acho q o segundo alvo mais relevante seria Renan", disse a procuradora, segundo informações publicadas pela Folha de S. Paulo.

"Sei que vcs pediram a ODE [empreiteira Odebrecht] que o primeiro anexo fosse sobre embaraço das investigações. Achei excelente a ideia mas agora tenho minhas dúvidas se o tema é prioritário e se é oportuno nesse momento. Não temos como brigar com todos ao mesmo tempo. Se tentarmos atingir ministros do STF, por exemplo, eles se juntarao contra a LJ, não tenho dúvidas. Tá de bom tamanho, na minha visão, atingirmos nesse momento o min mais novo do STJ. acho que abrirmos mais uma frente contra o Judiciário pode ser over. Por outro lado, aqueles outros (lula e Renan) temas pra nós hj são essenciais p vencermos as batalhas já abertas", acrescentou.

Procuradores da Lava Jato de Curitiba também combinaram a divulgação de uma nota para a imprensa em defesa de Sérgio Moro, questionado por determinar a condução coercitiva de Lula. Segundo um dos procuradores, a nota era necessária para "não deixarmos um amigo apanhar sozinho".

A procuradora Carolina Rezende acrescentou: "Coitado de Moro.. Não ta sendo fácil. Vamos torcer pra esta semana as coisas se acalmarem e conseguirmos mais elementos contra o infeliz do Lula".

Baseada nos diálogos - conteúdo de um arquivo de 7 terabytes periciado pela Polícia Federal e liberado à defesa pelo Supremo Tribunal Federal - os advogados do ex-presidente afirmam que a Lava Jato "atuava não apenas com o objetivo de devassar e produzir qualquer coisa" contra Lula, como ainda escondia "provas de sua inocência".

Em uma das mensagens, procuradores da Lava Jato revelam que Paulo Dalmazzo, ex-diretor da Andrade Gutierrez, afirmara que Lula tinha feito uma palestra para a empresa e que saiu dela "ovacionado".

"Não botei o termo", diz um dos procuradores que investigava palestras dada a empresas pelo ex-presidente, que eram questionadas no âmbito da Lava Jato de Curitiba como sendo inexistentes ou fraudulentas..

Na petição, a defesa afirmou que o novo pacote de mensagens reforçou "o contexto de caçada judicial" contra Lula "com o aval da Procuradoria-Geral da República em sua antiga gestão".

O documento destacou, como fatos graves, a "ocultação de provas de inocência em favor do Reclamante" e a "prática de diversos atos combinados para criar um ambiente artificial de culpabilidade" contra o ex-presidente. "Na primeira instância, os procuradores da 'Lava Jato' tramavam acordos de delação a toque de caixa com o objetivo de impor condenações injustas ao Reclamante", afirma a defesa no documento encaminhado ao Supremo Tribunal Federal..

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

1/3
300x250px - para veicular a partir do di
Leia também: