Prefeito de SP aumenta o próprio salário em R$ 11 mil


Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, do PSDB: salário passará a R$ 35,4 mil (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Menos de um mês após ser reeleito, o prefeito Bruno Covas (PSDB) sancionou um aumento de R$ 11 mil no próprio salário. De autoria do Executivo, o projeto aprovado por maioria na Câmara de Vereadores da capital paulista prevê um aumento de 46,6%, em média, dos salários também do vice-prefeito e dos secretários da capital de São Paulo. A decisão foi duramente criticada por alguns parlamentares, por ter ocorrido em um momento de contingenciamento de gastos devido à pandemia da Covid-19 e a 24 dias da abertura das urnas.

O salário atual do prefeito é de R$ 24.175 e passará a R$ 35.462 - com variação de 46,6%. Já o salário do vice terá aumento de 47% e dos secretários, quase 53%.

A justificativa da Câmara é de que se trata da correção dos salários "em patamar abaixo da inflação acumulada no período" dos últimos oito anos e que "valerá apenas a partir de janeiro de 2022".

Corte dos 60 anos

Na quarta-feira (23), Bruno Covas também decidiu revogar a lei que estabelece a gratuidade no transporte público para idosos de 60 a 65 anos de idade. Com isso, a partir de 1º de janeiro de 2021, idosos nessas faixas etárias serão obrigados a pagar tarifa de ônibus, trem e metrô.

A decisão foi duramente criticada nas redes e internautas relembram que o candidato a prefeito Guilherme Boulos (PSOL) que foi taxado como “radical” por querer gratuidade no transporte público, por exemplo, para desempregados.

Através da deputada federal Sâmia Bonfim, do PSOL, o partido anunciou que “tomará todas as medidas cabíveis para reverter essa medida absurda”.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg