Professor do Abel volta a ser alvo de racismo de alunos

Atualizado: 14 de jul. de 2020


(Reprodução)

Xingado de "gorila" e "macaco" por um aluno de 12 anos quando ministrava uma aula online no dia 18 de junho, o professor José Nilson Júnior, do Colégio La Salle Abel, em Icaraí, Zona Sul de Niterói, voltou a ser atacado por causa da cor da sua pele. Desta vez, por dois alunos de prováveis 15 anos, em vídeo no Twitter. Diferente do primeiro caso, em que ele optou por um encontro virtual com a direção da escola, os pais do aluno e o próprio aluno, José Nilton registrou queixa por crime de racismo na 77a Delegacia Polcial, de Icaraí.

José Nilton, que faz mestrado em História da África do Sul pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), já propôs até a criação de um comitê antirracista na escola onde dá aula. “Estou triste porque minha função é educar. Mas não me restou outra alternativa além de prestar queixa”, desabafou o professor.

Na ocasião da primeira ocorrência de racismo, a direção do colégio se pronunciou através de nota, afirmando que "repudia atos de discriminação de qualquer natureza em nosso colégio e na sociedade e vamos seguir lutando para que direitos sejam mantidos e que deveres sejam cumpridos”.

Desta vez, a instituição informou que os detratores do professor "foram alunos (do Abel) em 2019, mas não são alunos em 2020, pois suas matrículas não foram renovadas para o corrente ano".


(Reprodução)

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif