Promessa de Pazuello de 46 milhões de doses cai 40%


Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello diminuiu previsão de vacinas no Brasil até final de março (Carolina Antunes/PR)

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta segunda-feira (8) que o Brasil deve ter até o fim de março cerca de 28 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, produzidas pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz. Em fevereiro, porém, Pazuello previa receber 46 milhões de doses - 40% a mais - para serem distribuídas aos estados brasileiros.

Sobre o plano nacional de contenção da Covid-19, defendido por diversos governadores, Pazuello descartou o lockdown e afirmou que o Ministério da Saúde deve apresentar, sem dizer quais, uma série de medidas consideradas eficazes para impedir o contágio pela doença.

"Nosso objetivo é ter em março, próximo aí a 25 milhões, 28 milhões de doses já realmente entregues para que a gente cumpra o Plano Nacional de Imunização", disse Pazuello.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (8) após reunião com o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que representa o Fórum Nacional de Governadores, que vem cobrando do governo federal medidas como lockdown e toque de recolher nacionalmente.

Segundo Pazuello, o corte na previsão de doses refere-se ao contrato do Brasil com o Laboratório Serum, da Índia, cujo cronograma não está sendo cumprido e vem atrasando a entrega porque o governo indiano decidiu interromper temporariamente a exportação de vacinas.

Pazuello também afirmou que “mais 2,5 milhões de doses de vacinas fabricadas pelo Instituto Butantan irão para os estados brasileiros até o final desta semana”. “Espero que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e a Fiocruz ajustem os processos para que tenhamos, em até duas semanas, entregas semanais”, disse.

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3