top of page

Protestos contra a Enel continuam nesta segunda (20/11)

Desde domingo (19/11), dia seguinte ao temporal que deixou Niterói às escuras, a população tem saído às ruas em diferentes bairros da cidade para protestar contra a Enel. Há locais que permanecem sem luz até esta segunda-feira (20/11), quando o Tribunal de Justiça do Rio acatou o pedido da Prefeitura cobrando ações emergenciais da empresa e fixou um prazo de até seis horas para o restabelecimento da energia, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia. O apagão da Enel se estende a cidades vizinhas, como São Gonçalo, onde também houve protestos.

Protesto nesta segunda (20/11) em Pendotiba, altura da Pestalozzi / Divulgação

Os bairros do Fonseca, Vital Brasil, Engenho do Mato, Itaipu, Largo da Batalha, Barreto, Engenhoca, Sapê, São Francisco, Camboinhas, Icaraí, Bairro de Fátima, Charitas, Ponta D´Areia, Maravista, São Lourenço, Santa Rosa, Piratininga, Cubango, Jacaré, Maria Paula e Centro ficaram sem energia até a tarde de domingo. Há relatos de explosões de transformadores em Icaraí, no Barreto, na Região Oceânica e no Preventório, onde ocorreu a queda de postes. Os consumidores reclamam da precariedade dos serviços e da falta de investimentos para melhorias na rede elétrica.


O fornecimento de água na cidade também foi interrompido por algumas horas, pois a falta de luz afetou as operações da concessionária Águas de Niterói.


Segundo a Enel, por volta das 19h30 de domingo, 84% dos clientes afetados tiveram o serviço normalizado. Mas, em vários locais — Ilha da Conceição, Sapê, Centro e Preventório, entre eles — o apagão continua.


Em São Francisco, na esquina da Rua Tapajós com Leila Diniz, além da falta de luz desde a noite do temporal, uma 'árvore eletrificada' assusta a população do bairro.


Ainda na tarde de domingo (19/11), manifestantes fizeram bloqueios e atearam fogo em objetos na Estrada Washington Luís, na altura do Sapê; na RJ-104, no Caramujo; e na RJ-106, em Santa Bárbara.


O túnel Charitas-Cafubá foi fechado pelos moradores. Houve protestos também no Fonseca, no Badu, no Morro do Preventório, no Centro, no Largo da Batalha, no Engenho do Mato, em frente à Pestalozzi, em Pendotiba, em Santa Rosa, e em vários outros pontos da cidade. A Polícia Militar precisou intervir para desbloquear as vias.

Manifestantes fecham a entrada da Ilha da Conceição / Divulgação

Protestos continuam


As manifestações prosseguiram ao longo desta segunda-feira (20/11). Na Ilha da Conceição, moradores fecharam o acesso ao local. Houve protestos na Pestalozzi, em Pendotiba; Favela do Gato; Preventório; Lindo Parque; Morro do Castro; Ititioca; Pita; Nova Grécia; Engenho do Mato e Marquês do Paraná.


Nas redes sociais, a hastag #foraenel subiu rapidamente ao topo, além de uma enxurrada de reclamações, fotos e vídeos das manifestações.


Confira os vídeos das manifestações de hoje:






Comentarios


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page