Putin e Fernández lançam produção da Sputnik na Argentina


(Aleksandr Kryazhev/Sputnik)

Os presidentes Alberto Fernández e Vladimir Putin formalizaram nesta sexta-feira (4) o início da produção da vacina Sputnik V contra a covid-19 na Argentina. Os chefes de Estado, através de uma videoconferência, confirmaram que neste domingo (6) partirá um avião da Rússia trazendo o princípio ativo para que comece a produção em massa de imediato, que será feita nas instalações do laboratório de Richmond, em Buenos Aires.

“Milhões de argentinos preservaram suas vidas graças ao desenvolvimento da Rússia no qual sempre confiamos. A Rússia soube desenvolver a pesquisa, a ciência e a tecnologia como os países mais importantes do mundo”, destacou o presidente argentino, citado pelo jornal Página 12, o mais importante do país.

As instalações do laboratório têm capacidade para fabricar e enfrascar semanalmente cerca de 500 mil doses da Sputnik V, disse o presidente dos laboratórios Richmond, Marcelo Figueiras.

Anteriormente, a ministra da Saúde da Argentina, Carla Vizzotti, havia informado que o Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya teria confirmado a qualidade dos primeiros lotes da vacina russa produzida na Argentina.

Assim, a Argentina se converte, oficialmente, em o segundo país no mundo a aprovar a produção local da vacina da Rússia.

Em toda a Argentina, quase 9,9 milhões de pessoas foram vacinadas com a primeira dose, enquanto mais de 2,8 milhões foram imunizados com as duas doses, segundo dados locais.

A oficialização da produção da Sputnik V no país sul-americano ocorre em um momento-chave, pois nos finais de maio a Argentina anunciou que entraria em regime de confinamento para tentar evitar uma nova onda de covid-19, após recordes de infecções e mortes diárias.


Com a Sputnik

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3