Rússia adverte EUA contra entregas de mísseis a Kiev


(Reprodução)

A Rússia espera que o bom senso prevaleça na questão das possíveis entregas de mísseis de longo alcance à Ucrânia pelos EUA, disse o embaixador russo em Washington, Anatoly Antonov.

Conforme relatos da mídia americana, a administração Biden pode entregar a Kiev sistemas de mísseis HIMARS e M270 MLRS, que vão ser equipados com projéteis guiados М31 GMLRS.

Antonov notou que tais informações precisam ser cuidadosamente analisadas.

"No momento, baseamo-nos na alegação do representante oficial do Pentágono [John] Kirby de que a decisão final em relação ao assunto ainda não foi tomada. Esperamos que o bom senso prevaleça e Washington não dê um passo tão provocativo", afirmou o embaixador citado pela entidade no Telegram.

Ele notou que a Rússia têm explicado repetidamente sua posição aos EUA, por via diplomática, de que os fornecimentos sem precedentes de armas à Ucrânia aumentam de maneira significativa os riscos de escalada do conflito.

"Os americanos entendem muito bem que suas ações afastam as perspectivas de alcançar a paz. Os Estados Unidos estão se envolvendo cada vez mais profundamente na crise na Ucrânia. Isso pode ter consequências imprevisíveis para a segurança global", acrescentou o diplomata russo.

Nas palavras de Antonov, no caso de entrega dessas armas há riscos de que elas sejam implantadas perto da fronteira com a Rússia, o que permitirá aos ucranianos atacar cidades russas.

"Tal situação é inaceitável e inadmissível para nós. Estou certo de que nossas Forças Armadas tomarão todas as medidas necessárias para neutralizar as capacidades do Exército ucraniano", ressaltou.

Na sua opinião, para resolver o conflito mais rapidamente, Washington e Kiev devem admitir a realidade: isso permitiria avançar na regularização política e impedir que a situação de segurança internacional se deteriore.

O representante oficial do Pentágono, John Kirby, anunciou na sexta-feira (27) que os EUA ainda não tomaram a decisão final sobre o envio de novos mísseis para a Ucrânia.


Fonte: Agência Sputnik

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg