top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Rússia fornece ao Brasil acelerador de partículas para ecologia da Amazônia


(Foto: Aleksandr Kryazhev/Sputnik)

Cientistas russos e sul-coreanos forneceram ao Brasil um acelerador de partículas industrial móvel para desinfecção e purificação de rios locais.


O acelerador é o produto do trabalho conjunto do Instituto Budker de Física Nuclear, Rússia, e do Instituto de Tecnologia de Feixe de Elétrons EB Tech, Coreia do Sul, disse o serviço de imprensa do instituto russo à Sputnik na quarta-feira (28).


A instalação científica foi entregue ao Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN).


"Especialistas do Instituto Budker, junto com seus colegas sul-coreanos da EB Tech, desenvolveram um acelerador industrial móvel para os cientistas brasileiros do IPEN. Esse acelerador industrial, com uma energia de 0,7 MeV e uma corrente de feixe de 28 mA, é uma versão móvel do acelerador clássico da série ELV. Em maio de 2023, a equipe do Instituto Budker realizou o comissionamento do equipamento no território do cliente", informou o instituto.

Trailer de três eixos com acelerador de elétrons (Foto: Instituto Budker de Física Nuclear)

Eles observaram que o trabalho foi realizado com o apoio financeiro da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA).


Como o instituto explicou, em geral, os aceleradores industriais estão localizados em bunkers de concreto, mas esse modelo foi feito especialmente para as necessidades do cliente e é um acelerador compacto com blindagem de chumbo instalado em um trailer para serviços pesados.


"Nossos colegas do Brasil adquiriram uma versão móvel do acelerador industrial – tal instalação dá para a realização de experimentos fora de laboratórios fixos, por exemplo, para purificar e descontaminar águas residuais que fluem para os afluentes do rio Amazonas", cita o instituto o pesquisador sênior Aleksei Korchagin.

Participantes da instalação do acelerador industrial móvel no IPEN (Foto: Instituto Budker de Física Nuclear)

O acelerador será usado para experimentos em tratamento e desinfecção de água, viajando para locais com impacto ambiental negativo, inclusive áreas de possível contaminação bacteriana.

A instalação também pode ser usada para esterilização por radiação de equipamentos médicos e produtos farmacêuticos, pasteurização, modificação de dispositivos condutores e outras finalidades.

Pesquisador sênior Aleksei Korchagin durante a montagem (Foto: Instituto Budker de Física Nuclear)

"Com nossos colegas da Coreia do Sul, compartilhamos o trabalho de construção da instalação. Nesse caso, montamos o tubo acelerador e o retificador de alta tensão do Instituto Budker, os coreanos desenvolveram o sistema de controle da usina e o vaso de pressão, e o cliente projetou a blindagem contra radiação. Mas o processo de instalação e comissionamento foi realizado em conjunto no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, em São Paulo", explicou Korchagin.


Os aceleradores de elétrons industriais desenvolvidos no Instituto Budker são usados por várias empresas e institutos de pesquisa nos Estados Unidos, Japão, Coreia, China, Malásia, Índia, Itália, Alemanha, República Tcheca e Polônia para o tratamento por radiação de fios e cabos, produtos médicos, produtos farmacêuticos e cosméticos, polietileno e esterilização de alimentos.


Fonte: Agência Sputnik


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page