Reino Unido e União Europeia fecham acordo, finalmente


Primeiro ministro britânico, Boris Johnson, comemora: "O acordo está feito" (Reprodução)

Nesta quinta-feira (24), véspera de Natal, o Reino Unido e a União Europeia (UE) chegaram a um acordo comercial após 11 meses de negociações pós-Brexit (a saída do país do bloco). O acordo precisa ser ratificado tanto pelos parlamentos dos 27 países da União Europeia como pelos britânicos. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, comemorou em rede social: "O acordo está feito".

A notícia foi confirmada pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que classificou o acordo "justo, equilibrado e correto", embora as negociações sobre o assunto tenham sido "muito difíceis".

Ursula von der Leyen disse que todo o debate sobre a questão foi "sempre sobre soberania", lembrando que os parceiros vão conseguir mais juntos do que separados.

Já o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que o Reino Unido retomou o "controle de suas leis e destino" depois de chegar a um acordo de livre comércio pós-Brexit há muito esperado.

"Este acordo é benéfico não apenas para nós, mas para toda a Europa", disse Johnson.

O acordo será agora submetido ao primeiro-ministro Boris Johnson e à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, para aprovação formal, além de ter que ser ratificado tanto pelos parlamentos dos 27 países da União Europeia como pelos britânicos.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, por sua vez, afirmou que o acordo é um grande passo para estabelecer uma relação estreita entre a União Europeia e o Reino Unido.

"Para os nossos cidadãos e empresas, um acordo abrangente com o nosso amigo e aliado vizinho é o melhor resultado", afirmou.

Os britânicos votaram para sair da União Europeia há quatro anos e meio. Formalmente, o Reino Unido já estava fora do bloco desde o dia 31 de janeiro, mas havia a previsão de um período de transição até o fim de 2020 em que o Reino Unido seguiu obedecendo as regras e regulamentações de comércio da União Europeia, assim como manteve as tarifas comerciais do bloco.

O acordo alcançado nesta quinta-feira (24) entra em vigor no dia 1º de janeiro, quando o Reino Unido deixará de fazer parte das regras e regulamentações de comércio da União Europeia. Com o acordo, o Reino Unido passa a ser um "terceiro país", mas um parceiro confiável, afirmou Von der Leyen.

Segundo ele, o Reino Unido agora tem um "novo status" como "estado costeiro independente". Barnier acrescentou que o acordo, "sem precedentes em escopo e complexidade", sinalizou o início de "novas gerações de acordos de livre comércio".

A questão da pesca foi particularmente delicada para o acerto entre as partes. O Reio Unido exigiu que o valor dos peixes capturados pelos barcos da União Europeia nas águas do Reino Unido fosse reduzido em 60% - algo que a UE considerou inaceitável. Mais tarde, foi relatado que Johnson fez concessões significativas sobre a questão, concedendo um corte de 30% na redução de valor.

"​O acordo está feito"


Com a Sputnik

1/3
300x250px - para veicular a partir do di

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também: